DIREITOS

Benefícios para trabalhadores de aplicativos é proposta de PL na Alepa

De autoria do Deputado Bordalo, o PL estabelece melhores condições de trabalho para trabalhadores de aplicativos de entrega e transporte individual privado no Pará
Foto: Divulgação/Zé Carlos Barretta/Folhapress

O Projeto de Lei N° 237/2020 de autoria do Deputado Bordalo apresentado nesta terça-feira (30), em sessão ordinária na Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), propõe um conjunto de medidas que visam proporcionar melhores condições para trabalhadores de aplicativos de entrega e transporte individual privado de passageiros.

Frente as rotinas de precarização que estes trabalhadores estão inseridos e sabendo que as empresas de aplicativos de entrega e transporte individual privado de passageiros ainda não estabelecem um vínculo empregatício formal com os trabalhadores, o PL N° 237/2020 visa a obrigatoriedade da criação de pontos de apoio de espaços para refeição, sanitários masculinos e femininos, vestiários, sala de descanso, espaços para estacionar bicicletas e motocicletas, entre outros benefícios para a classe.

Sabe-se também que no contexto atual da Pandemia da COVID-19, os trabalhadores de aplicativos assumem maior risco de contaminação, assim como outras circunstâncias de risco à vida, além do mais a categoria não está amparada por direitos trabalhistas pelas empresas que estes prestam serviço.

Leia mais: Estatuto da Igualdade Racial do Pará é proposta de PL do Deputado Bordalo

O Projeto de Lei condiciona às companhias de aplicativos que oferecem os serviços de entregas e transporte individual privado de passageiros que devam se responsabilizar em construir, manter e garantir o funcionamento dos pontos de apoio.

Caso o descumprimento do que determina a Lei, o empreendimento será advertido, poderá ser suspenso, receberá multa mínima de R$ 1.000,00 (mil) reais, além de que os valores das multas poderão ser elevados em até 10(dez) vezes dependendo do porte da empresa.

Em virtude de um profundo crescimento do desemprego no Brasil e da desvalorização do trabalho formal, as ocupações informais se disseminaram rapidamente. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aponta que o trabalho informal contabilizava 38,3 milhões de pessoas em 2018, o que representava 41,5% da população ocupada.

Apesar do trabalho em aplicativo estar sendo uma fonte geradora de empregos no meio informal, todavia apresenta-se também como um forte impulsionador da precarização trabalhista. Sabendo que são empresas virtuais, em geral sediadas no exterior, que passaram a oferecer trabalho intermitente e mal-remunerado.


Curtiu? Compartilhe com os amigos!

Posts Relacionados

Notícias sobre a atuação parlamentar do Deputado Estadual Carlos Bordalo (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Pará.

Email: dep.bordalo@alepa.gov.pa
Contato comunicação: bordalo13@gmail.com
Whatsapp: (91) 99319 8959

Gabinete: Assembleia Legislativa do Estado do Pará – Rua do Aveiro,130 – Praça Dom Pedro II, Cidade Velha – 66020-070 3° andar
Fone: 55 91 3182 8419 (ramal: 4368)

Copyright © 2019 Deputado Bordalo. Todos os Direitos Reservados.