Segurança alimentar

Presidente da CDH-Alepa apresenta recomendações de prevenção da Covid-19 à Ceasa

Entre as recomendações o uso de máscaras, instalação de pias e maior controle de pessoas essenciais para o funcionamento do mercado
Foto: CDHeDC-Alepa

O deputado Bordalo deu entrada na moção nº 280/2020 solicitando à Central de Abastecimento do Pará (Ceasa), Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) e a Policia Militar, o cumprimento das recomendações feitas pela Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor (CDHeDH-Alepa) para a adoção de medidas de prevenção à proliferação do novo Coronavírus (Covid-19) na Ceasa.

O deputado, que preside a CDHeDH-Alepa, apresentou uma série de recomendações, pois segundo o que foi verificado pessoas que frequentam a Ceasa não estavam de máscaras. O fluxo no local é bastante intenso, principalmente de pessoas vindas do interior do Pará, o que podem ser tornar agentes de proliferação do vírus para outras localidades, como as comunidades rurais.

Leia mais: Bordalo se reúne com lideranças sindicais sobre pandemia nas comunidades rurais

A Ceasa cumpre um papel importante no abastecimento alimentar, e um das frentes principais de enfrentamento à pandemia que assola o Pará é a garantia da normalidade do fluxo de alimentos, essencial para a manutenção da estratégia de isolamento social, contudo é necessário observar e cumprir com as determinações estabelecidas de normas mínimas de vigilância sanitária.

Ceasa Para
CDH-Alepa / Mercado da Ceasa de madrugada

Nesse sentido, o cumprimento de tais recomendações se faz necessário para garantir e preservar que o funcionamento do serviço essencial de comercialização de alimentos realizado na Central de Abastecimento aconteça em segurança, garantindo, principalmente, que o acesso ao mercado seja feito por pessoas essenciais ao funcionamento da Ceasa, diminuindo assim, o risco de contágio.

RECOMENDAÇÕES

Comuns a todos os ambientes e setores da CEASA:
  • Exigir a utilização de máscaras, viseiras, luvas e calçados fechados e em todas as pessoas que adentrarem ao complexo e enquanto permanecerem nele, fazendo valer a sanção determinada no Decreto de Lockdown e o disposto na Lei Estadual nº 9.051/2020.
Quanto à necessidade de integração de políticas públicas
  • Criar uma força tarefa sob coordenação da Ceasa que integre seus servidores, Polícia Militar, Seaster e Sespa de forma a desenvolver protocolos de atuação acumulando o exitoso aprendizado da Operação de Acolhimento Emergencial da população de rua no Estádio Olímpico do Pará – Mangueirão e no Ginásio “Guilherme Paraense” – Mangueirinho.
Quanto ao controle de entrada e saída:
  • Realizar a desinfecção externa de todos os veículos que adentrarem ou deixarem o complexo da Ceasa, através da borrifação de solução de hipoclorito nos veículos;
  • Restringir a entrada de mais de um consumidor por veículo de passeio
  • Instalar posto da Sespa na entrada da Ceasa para realizar a medição de temperatura e a saturação de oxigênio em todas as pessoas que adentrarem no complexo da Ceasa, impedindo-as de adentrar o complexo adotando as medidas de monitoramento caso apresentem indícios de contaminação.

Leia mais: PL cria Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar no Pará

Quanto à comercialização dos produtos da agricultura familiar comercializados no galpão do produtor:
  • Instalar pias para higienização das mãos de consumidores e produtores;
  • Dispor de funcionários com álcool gel para higienização das mãos de consumidores e produtores;
  • Realizar a desinfecção do interior dos veículos dos produtores familiares que transportam as mercadorias;
  • Distribuir luvas e restringir o número de produtores familiares por grupo de comercialização.
Quanto aos procedimentos de descarga dos alimentos comercializados:
  • Realizar a desinfecção por borrifação de solução de hipoclorito sobre os gêneros alimentícios a serem descarregados;
  • Exigir a manipulação de alimentos com utilização de luvas e garantir a higienização constante de balanças, carrinhos, carroças, basquetas e todos os recipientes ou meios utilizados para o transporte e o acondicionamento de gêneros alimentícios;
Quanto à permanência de pessoas que exercem a catação de gêneros descartados:
  • Organizar um sistema de coleta de gêneros alimentícios descartados por boxe para doação;
  • Cadastrar os catadores de forma a permitir que a catação seja efetuada nos boxes antes do descarte;
  • Erradicar o processo de catação de gêneros nas vias internas e externas do complexo da Ceasa;
Quanto à higienização do complexo da Ceasa:
  • Ampliar o contrato de prestação de serviços de limpeza e conservação, com foco específico na higienização permanente do espaço contemplando as medidas ora recomendadas.

Curtiu? Compartilhe com os amigos!

Posts Relacionados

Notícias sobre a atuação parlamentar do Deputado Estadual Carlos Bordalo (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Pará.

Email: dep.bordalo@alepa.gov.pa
Contato comunicação: bordalo13@gmail.com
Whatsapp: (91) 99319 8959

Gabinete: Assembleia Legislativa do Estado do Pará – Rua do Aveiro,130 – Praça Dom Pedro II, Cidade Velha – 66020-070 3° andar
Fone: 55 91 3182 8419 (ramal: 4368)

Copyright © 2019 Deputado Bordalo. Todos os Direitos Reservados.

Você se inscreveu com sucesso na newsletter

Ocorreu um erro ao tentar enviar sua solicitação. Por favor, tente novamente.

Blog do Bordalo will use the information you provide on this form to be in touch with you and to provide updates and marketing.