O candidato Jair Bolsonaro se projetou nacionalmente e conquistou o voto das camadas evangélicas porque inventou um tal “kit gay”. Mas agora já foi desmascarado pela imprensa (https://glo.bo/2yFs8zZ), pelo Ministério da Educação (https://bit.ly/2Na4i9r) e pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) (leiam a decisão aqui: https://bit.ly/2OrhlEi). Nunca existiu kit gay. O que havia era um projeto de combate à homofobia voltado a […]

Justiça proíbe fake news de Bolsonaro sobre “kit gay”

Sem categoria

O candidato Jair Bolsonaro se projetou nacionalmente e conquistou o voto das camadas evangélicas porque inventou um tal “kit gay”. Mas agora já foi desmascarado pela imprensa (https://glo.bo/2yFs8zZ), pelo Ministério da Educação (https://bit.ly/2Na4i9r) e pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) (leiam a decisão aqui: https://bit.ly/2OrhlEi). Nunca existiu kit gay. O que havia era um projeto de combate à homofobia voltado a estudantes do Ensino Médio (vejam a reportagem da revista Nova Escola  (https://bit.ly/2lhBnzi).
Considerando que o Brasil é o pais com maior índice de assassinatos de sua população LGBT (uma vítima a cada 19 horas https://bit.ly/2BdPN9E), esse material ajudaria a salvar vidas. Mas Bolsonaro e a bancada conservadora se opuseram na época. Resultado: o projeto Escola Sem Homofobia foi vetado pela presidência e seu material jamais foi distribuído.

Percebam o nível de chantagem deste candidato: ao invés de defender a vida, inventa um factóide para se promover durante as eleições. Só por esse episódio, Bolsonaro já mereceria ter sua candidatura impugnada porque agiu de má-fé para conturbar o processo eleitoral e prejudicar a democracia.

Agora Bolsonaro precisa cumprir a determinação judicial e retirar do ar seus vídeos mentirosos. Uma campanha toda baseada em fake news não merece a confiança dos eleitores brasileiros.
Aqui no Pará, apresentei projeto de lei dispondo sobre as penalidades a serem aplicadas contra a prática de discriminação em razão de orientação sexual e identidade de gênero. O projeto complementa a Lei 7.567, de 26 de outubro 2011, de autoria da então deputada estadual Bernadete Ten Caten (PT), que proíbe a discriminação em virtude de orientação sexual. 
Ocorre que, passados sete anos da aprovação desta lei, as penalidades para quem pratica discriminação contra a população LGBT não foram regulamentadas pelo Executivo. O nosso projeto de lei tem como objetivo corrigir esse erro.



Curtiu? Compartilhe com os amigos!

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

Notícias sobre a atuação parlamentar do Deputado Estadual Carlos Bordalo (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Pará.

Email: dep.bordalo@alepa.gov.pa
Contato comunicação: bordalo13@gmail.com
Whatsapp: (91) 99319 8959

Gabinete: Assembleia Legislativa do Estado do Pará – Rua do Aveiro,130 – Praça Dom Pedro II, Cidade Velha – 66020-070 3° andar
Fone: 55 91 3182 8419 (ramal: 4368)

Copyright © 2019 Deputado Bordalo. Todos os Direitos Reservados.

Você se inscreveu com sucesso na newsletter

Ocorreu um erro ao tentar enviar sua solicitação. Por favor, tente novamente.

Blog do Bordalo will use the information you provide on this form to be in touch with you and to provide updates and marketing.