Garantia de Direitos – Lei Maria da Penha

Sem categoria

A lei maria da penha foi criada em no dia 7 de agosto de 2006 em homenagem à cearense Maria da Penha Maia Fernandes. Foi a história desta maria que mudou as leis de proteção para as mulheres em todo o país. Penha foi agredida pelo marido durante seis anos e passou por duas tentativas de assassinato. Na primeira, com um tiro, ficou paraplégica e na segunda sofreu afogamento e eletrocussão, quando o corpo recebe uma descarga eletrica de grandes proporções. Foi após esses episódios que maria decidiu lutar por seus direitos e após 19 anos, conseguiu com que o país tivesse uma lei que protegesse as mulheres contra agressões domésticas. Hoje, Maria da Penha é símbolo nacional da luta das mulheres contra a opressão e violência.

O objetivo da lei é criar mecanismos para coibir e prevenir a violência doméstica e familiar contra a mulher. o propósito da lei não é prender homens mas sim proteger as mulheres e filhos de agressões. Para Domingas Martins, fundadora do grupo de mulheres brasileiras, o gmb,  a lei é uma forma de garantir e proteger a vida das mulheres

“Essa lei vem de certa forma pra nós mulheres termos alguma coisa que nos garanta a gente poder denunciar, protestar, dizer e falar. E isso ajudou muito porque antigamente as mulheres não falavam. Eu sofri violência e quando fui falar na época, a polícia, a medida que meu marido apareceu lá com um documento de que ele tinha sido um policial maravilhoso e honrado, eu passei a não prestar, passei a ser a criatura e acabou ali. A gente nao tinha pra onde correr entao as mulheres tinham medo de denunciar.

Antes da lei, crimes de violência doméstica e familiar eram tratados como de menor potencial, sendo a pena reduzida a pagamento de cestas básicas ou trabalho comunitário.

Para domingas só a lei ainda não é suficiente.

“Eu acho que ainda precisa muita coisa. Precisa que as autoridades cumpram sem papel e agilizem e façam a punição de acordo como tem que ser. Ninguem quer que mate homem nem nada disso. Queremos que a lei possa funcionar de jeito que os homens possam respeitar as mulheres e parem de matar as mulheres“

Segundo dados divulgados pelo Fórum brasileiro de segurança pública, a cada hora, 503 mulheres acima de 16 anos foram agredidas em 2016, o que representa um total de 4,4 bilhões de casos. No Pará, Ananindeua é o município com maior índice de violência contra a mulher, de 22 homicídios para cada 100 mil habitantes, seguido de Marituba e Marabá.

Rita Teixeira, coordenadora do movimento de mulheres do nordeste paraense, MMNEPA, acredita que ainda existem problemas na execução da lei e vê a capacitação para o acolhimento dessas vítimas como um fator importante a ser trabalhado

“Pra gente ela é uma lei que é completa, porém, a efetivação dela é que ainda nao acontece. aqui no pará. a gente percebe que muitas pessoas na area da seguranca publica nao estao preparadas pra atender as mulheres vitimas de violencia principalmente no interior do pará. “

Rita ainda reitera que“os profissionais ainda precisam compreender a dimensao da lei maria da penha, ainda precisam da sensibilidade da importancia de acolher a mulher de forma tranquila, de forma justa, e ai quando a gente passa pras mulheres trabalhadoras rurais que é o nosso publico, a situacao é ainda mais precária. porque essas mulheres estao ha 20, 30, 35 km do centro da cidade aonde tem a delegacia, entao elas ja enfrentam muitas dificuldades pra chegar ate a delegacia.

Com o objetivo de educar e conscientizar sobre o respeito a mulher, o deputado bordalo aprovou a lei da semana do empoderamento feminino nas escolas. A lei visa promover a igualdade de gÇenero nas escolas públicas e privadas do estado por meio de atividades socioeducativas que envolvam estudantes, professores e a comunidade.


Curtiu? Compartilhe com os amigos!

Posts Relacionados

Notícias sobre a atuação parlamentar do Deputado Estadual Carlos Bordalo (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Pará.

Email: dep.bordalo@alepa.gov.pa
Contato comunicação: bordalo13@gmail.com
Whatsapp: (91) 99319 8959

Gabinete: Assembleia Legislativa do Estado do Pará – Rua do Aveiro,130 – Praça Dom Pedro II, Cidade Velha – 66020-070 3° andar
Fone: 55 91 3182 8419 (ramal: 4368)

Copyright © 2019 Deputado Bordalo. Todos os Direitos Reservados.

Você se inscreveu com sucesso na newsletter

Ocorreu um erro ao tentar enviar sua solicitação. Por favor, tente novamente.

Blog do Bordalo will use the information you provide on this form to be in touch with you and to provide updates and marketing.