Bordalo propõe projeto de lei contra assédio em bares e casas noturnas

Divulgação

Proteger as mulheres do assédio em bares, restaurantes e casas noturnas, obrigando esses estabelecimentos a adotarem medidas de auxílio e segurança às mulheres que se sintam em situação de risco. Esse é objetivo do projeto de lei apresentado pelo deputado estadual Carlos Bordalo (PT), nesta terça-feira (23), na Assembleia Legislativa do Pará.

Caso a proposta seja aprovada, bares, casas noturnas e restaurantes serão obrigados a adotar medidas para auxiliar as mulheres que se sintam em situação de risco, nas dependências desses empreendimentos. O auxílio será prestado na forma de acompanhamento até o carro (ou outro meio de transporte) e comunicação do fato à polícia. 

A nova lei, caso seja aprovada, será divulgada em cartazes fixados nos banheiros femininos ou em qualquer ambiente do local, prestando apoio à mulher que se sinta em risco de sofrer abusos físicos, psicológicos ou sexuais. Ofuncionários dos empreendimentos deverão ser capacitados para prestarem esse auxílio. 

O deputado Bordalo explica que o projeto de lei se propõe a combater o assédio diante da crescente estatística de violência contra a mulher no país. “O assédio sexual infelizmente é uma rotina durante as festas. Denúncias trazem à luz situações cotidianas que eram mantidas ocultas. Mas a reação deve ir além das redes sociais”, disse o parlamentar.

Leia mais: Crime de importunação sexual no Pará poderá ter aplicação de multa

“O machismo legitima o discurso de posse, a ideia de que a mulher tem que estar disponível. O homem não sente que está fazendo uma coisa errada, ele se sente no direito. Mas, não é por ser uma cultura que o machismo é abstrato. Ele se materializa por meio de ações concretas como o assédio”, destacou Bordalo.

Em abril de 2016, Miriam Magalhães, estudante de Medicina, havia saído à noite com as amigas para comemorar a conclusão do curso de graduação em Belém. Ela foi espancada com socos e chutes,  por Airton Carneiro Filho, que teria ficado insatisfeito diante da negativa ao assédio. Após a investigação, ele foi julgado e condenado a pagar cinco cestas básicas para entidades carentes.

No Brasil, mais de 40% das mulheres já sofreram violência doméstica em algum momento da vida. Em 2016, 66% dos brasileiros presenciaram uma mulher sendo agredida fisicamente ou verbalmente. No Mapa da Violência de 2015, que faz comparação com dados de 83 países, o Brasil se encontra na 5ª posição em assassinato de mulheres. De acordo com o monitor da violência, projeto do portal G1, o Pará é o 7º Estado com mais mulheres vítimas de homicídios e 8º em número de feminicídio. A cada uma hora, cerca de dois casos de violência contra mulher são registrados na Grande Belém.   


Curtiu? Compartilhe com os amigos!

Posts Relacionados

Notícias sobre a atuação parlamentar do Deputado Estadual Carlos Bordalo (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Pará.

Email: dep.bordalo@alepa.gov.pa
Contato comunicação: bordalo13@gmail.com
Whatsapp: (91) 99319 8959

Gabinete: Assembleia Legislativa do Estado do Pará – Rua do Aveiro,130 – Praça Dom Pedro II, Cidade Velha – 66020-070 3° andar
Fone: 55 91 3182 8419 (ramal: 4368)

Copyright © 2019 Deputado Bordalo. Todos os Direitos Reservados.

Você se inscreveu com sucesso na newsletter

Ocorreu um erro ao tentar enviar sua solicitação. Por favor, tente novamente.

Blog do Bordalo will use the information you provide on this form to be in touch with you and to provide updates and marketing.