Exatamente 30 dias depois do Golpe que afastou a presidenta Dilma, e elevou a condição de Interino o golpista Michel Temer, todas as políticas públicas de Direitos Humanos foram suspensas, o que implica na paralisação de três serviços essenciais, doze programas federais, oito Conselhos Nacionais e quatro comissões Nacionais Atingindo frontalmente a capacidade de atendimento […]

Governo paralisa 15 programas e 8 Conselhos Nacionais

Sem categoria
Exatamente 30 dias depois do
Golpe que afastou a presidenta Dilma, e elevou a condição de Interino o
golpista Michel Temer, todas as políticas públicas de Direitos Humanos foram
suspensas, o que implica na paralisação de três serviços essenciais, doze
programas federais, oito Conselhos Nacionais e quatro comissões Nacionais

Atingindo frontalmente a capacidade de atendimento a população com serviços
essenciais como: Disque 100 – Canal de denúncia de violência doméstica contra
mulheres, idosos, crianças e adolescentes; O PROVITA – Programa de Proteção de
Vítimas e Testemunhas Ameaçadas e o PPCAM – Programa de Proteção a Crianças e
Adolescentes Ameaçados de Morte, entre outros.


A medida também suspende a participação da sociedade civil em matéria de
violações de direitos de Idosos, portadores de deficiências, da criança e do
adolescente, de mulheres e outros


Está acontecendo no Brasil a implantação de um Estado Totalitário, onde são
suprimidos os direitos de participação popular nas políticas públicas e são
colocados em segundo plano os direitos de minorias como idosos, negros,
homossexuais, indígenas e crianças e adolescentes, valorizando e
descriminalizando práticas condenadas internacionalmente como a Tortura e a
Escravidão.


O ministro golpista Alexandre de Moraes é um homem sem pudores, associa-se a
investigados de formação de organização criminosa ligada ao PCC; já atuou na
Defesa de Eduardo Cunha e defendeu a empresa SIEMENS no escândalo de corrupção
Trensalão.


Para Michel Temer e Geraldo Alckmin, foram estes feitos lhe credenciaram para
ser Secretario de Estado de São Paulo e agora promovido a Ministro de Estado da
Justiça e Cidadania.

Não podemos deixar de mencionar que o ministro já se mostrou um péssimo gestor
público. Foi o responsável direto pelo rombo de milhões de reais na Fundação
Casa (Ex-Febem). Sua gestão temerária à frente do órgão, colocando funcionários
destreinados para lidar com jovens em regime de internação, foi a responsável pelo
estupro de uma das tutoras que, sem a devida capacitação para a função, foi
vítima dos adolescentes.


Se por um lado o clima é de pente fino nas despesas, a medida não se aplica à
Secretaria Executiva do Ministério da Justiça e Cidadania, ao Departamento de
Polícia Federal e ao Departamento de Polícia Rodoviária Federal, deixando claro
o que o ministro golpista concebe ser essencial em relação a Direitos Humanos e
Justiça.


Veja a relação dos serviços, programas, conselhos e Comissões suspensos:


PROGRAMAS E SERVIÇOS

1. Disque Direitos Humanos (100);

2. Conselhos Tutelares

3. Adoção Internacional de Crianças e Adolescentes

4. Sequestro Internacional de Crianças e Adolescentes

5. Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte –
PPCAAM

6. Proteja Brasil

7. Centrais de Interpretação da Língua Brasileira de Sinais – Libras;

8. Programa de Capacitação Técnica;

9. Centros de Referência em Direitos Humanos;

10. Programa de Proteção a Vítimas e Testemunhas Ameaçadas – PROVITA;

11. Programa de Proteção aos Defensores dos Direitos Humanos;

12. Pensão especial concedida a atingidos pela hanseníase;

13. Cadastramento dos Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente;

14. Equipagem dos Conselhos Tutelares;

15. Escolas de Conselhos;

PARTICIPAÇÃO SOCIAL

1. Conselho Nacional dos Direitos Humanos – CNDH;
2. Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente – CONANDA;
3. Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência – CONADE;
4. Conselho Nacional dos Direitos do Idoso – CNDI;
5. Conselho Nacional de Combate à Discriminação – CNCD/LGBT;
6. Conselho Nacional dos Direitos da Mulher – CNDM
7. Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial – CNPIR
8. Conselho Nacional de Segurança Pública – CONASP
9. Comissão Especial de Mortos e Desaparecidos Políticos – CEMDP;
10. Comissão Nacional de Política Indigenista – CNPI
11. Comissão Nacional para a Erradicação do Trabalho Escravo – CONATRAE e
12. Mecanismo Nacional de Prevenção e Combate à Tortura – MNPCT.


Curtiu? Compartilhe com os amigos!

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

Notícias sobre a atuação parlamentar do Deputado Estadual Carlos Bordalo (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Pará.

Email: dep.bordalo@alepa.gov.pa
Contato comunicação: bordalo13@gmail.com
Whatsapp: (91) 99319 8959

Gabinete: Assembleia Legislativa do Estado do Pará – Rua do Aveiro,130 – Praça Dom Pedro II, Cidade Velha – 66020-070 3° andar
Fone: 55 91 3182 8419 (ramal: 4368)

Copyright © 2019 Deputado Bordalo. Todos os Direitos Reservados.

Você se inscreveu com sucesso na newsletter

Ocorreu um erro ao tentar enviar sua solicitação. Por favor, tente novamente.

Blog do Bordalo will use the information you provide on this form to be in touch with you and to provide updates and marketing.