Celpa foi vendida pelos tucanos por R$ 450 milhões e agora pede recuperação judicial. Privatizar pra quê?

Blog do Bordalo Celpaentracompedidoderecuperaojudicial29022012

Na imagem acima, a informação de hoje de O Liberal: Celpa entra com pedido de recuperação judicial, antiga concordata. Na próxima terça-feira 7, o presidente da Assembleia Legislativa do Pará -ALEPA, Manoel Pioneiro, acompanhado de todos os líderes partidários, ouvirão as explicações da Rede Celpa acerca do pedido de recuperação judicial e como ficará o abastecimento de energia no Pará. 

O companheiro Zé Maria, líder do PT na Casa, estará presente nessa audiência com as indagações da bancada do PT sobre essa criminosa privatização do setor elétrico, de abastecimento de energia, em que o Estado se eximiu da sua responsabilidade, vendeu a Celpa por R$ 450 milhões de reais, não manteve a necessária fiscalização sobre a Rede Celpa e agora quem vai sofrer mais ainda é o povo do Pará.

Em seu blog, a jornalista Franssinete Florenzano diz: O acionista majoritário do grupo, Jorge Queiroz Jr., tenta vender, sem sucesso, seus 54%. O preço e os riscos regulatórios têm desencorajado possíveis compradores. Ninguém vai estranhar se o Estado precisar assumir de novo a responsabilidade pelas linhas de transmissão.

Uma Assembleia Geral Extraordinária da Rede Energia está convocada para 19 de março, para discutir alternativas de superação da crise da companhia.

Blog do Bordalo Fato Relevante Versão Final

Curtiu? Compartilhe com os amigos!

Posts Relacionados

Leave a Comment

Notícias sobre a atuação parlamentar do Deputado Estadual Carlos Bordalo (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Pará.

Email: dep.bordalo@alepa.gov.pa
Contato comunicação: bordalo13@gmail.com
Whatsapp: (91) 99319 8959

Gabinete: Assembleia Legislativa do Estado do Pará – Rua do Aveiro,130 – Praça Dom Pedro II, Cidade Velha – 66020-070 3° andar
Fone: 55 91 3182 8419 (ramal: 4368)

Copyright © 2019 Deputado Bordalo. Todos os Direitos Reservados.