Bordalo propõe emenda para garantir escola sem mordaça no Pará

Sem categoria

O deputado estadual Carlos Bordalo (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Alepa, apresentou, nesta terça-feira (20), Projeto de Emenda Constitucional (PEC) ao artigo 272 da Constituição do Estado do Pará, para garantir escolas com liberdade e sem censura no Estado. A emenda deverá entrar em pauta na Assembleia Legislativa, mas ainda sem data definida para votação.

A PEC assegura a todos os funcionários, estudantes e professores a liberdade de expressão e opinião em sala de aula. O poder público deverá impedir qualquer forma de opressão ou coação aos professores e alunos, além de garantir a liberdade de aprender, ensinar e compartilhar saberes e pensamentos.
Para o deputado Bordalo, a discussão do tema é de extrema relevância. “Um ensino e uma aprendizagem efetivamente plurais somente podem se desenvolver em um ambiente de liberdade de ideias, de expressão e de respeito à enorme diversidade que caracteriza o nosso país’’ defende o parlamentar. 

A PEC proposta pelo deputado paraense é um contraponto ao famigerado projeto de lei “Escola Sem Partido”, de autoria do deputado Erivelton Santana (PSC-BA) e que deve ser votado hoje na Câmara dos Deputados. O Escola Sem Partido prevê que as escolas fixem as obrigações dos professores, como “não cooptar o aluno a associação em correntes políticas” e “não os incitar a participar de manifestações”. Além disso, a educação moral, sexual e religiosa deve preceder aos valores morais de alunos, pais ou responsáveis, retirando da escola seu papel na construção ética e moral das pessoas.

No Maranhão, foi sancionado há uma semana o projeto de lei “Escola com liberdade”, pelo governador reeleito Flávio Dino (PCdoB). A ideia é que ocorra o mesmo no Pará. Bordalo acredita que “defender uma escola neutra, na verdade, é assegurar que apenas uma visão de mundo seja debatida nela.”

O Escola Sem Partido guarda semelhanças com o Decreto-Lei 477, promulgado em fevereiro de 1969, dois meses depois do AI-5, em plena Ditadura Militar. Esse decreto tinha por objetivo punir estudantes, professores e trabalhadores da educação que fossem acusados de “subversão”. Críticos da lei acreditam que, caso aprovado, o Escola sem Partido vai gerar insegurança nas salas de aula e perseguição aos docentes.

A emenda proposta pelo deputado Bordalo também visa estimular e apoiar projetos socioeducativos destinados a adultos, crianças e adolescentes, idosos e trabalhadores, bem como a capacitação e habilitação de recursos humanos desde a educação pré-escolar até a educação para adultos.

Curtiu? Compartilhe com os amigos!

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

Notícias sobre a atuação parlamentar do Deputado Estadual Carlos Bordalo (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Pará.

Email: dep.bordalo@alepa.gov.pa
Contato comunicação: bordalo13@gmail.com
Whatsapp: (91) 99319 8959

Gabinete: Assembleia Legislativa do Estado do Pará – Rua do Aveiro,130 – Praça Dom Pedro II, Cidade Velha – 66020-070 3° andar
Fone: 55 91 3182 8419 (ramal: 4368)

Copyright © 2019 Deputado Bordalo. Todos os Direitos Reservados.

Você se inscreveu com sucesso na newsletter

Ocorreu um erro ao tentar enviar sua solicitação. Por favor, tente novamente.

Blog do Bordalo will use the information you provide on this form to be in touch with you and to provide updates and marketing.