Artigo: O impeachment e o golpe

Sem categoria
O secretário-geral da
Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro(foto), afirmou na semana
passada que está à espera de respostas da Corte Interamericana de Direitos
Humanos (CorteIDH) e o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo
Lewandowski, sobre “a legalidade das causas invocadas” para o
processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.
Almagro é uma das vozes internacionais que questionaram os fundamentos do
processo de destituição de Dilma.


O Secretário Geral da OEA levanta “incertezas jurídicas” do impeachment que são
abordadas por vários juristas, dentro e fora do Brasil, de políticos, fora e
dentro, de organismos internacionais, desde a Unasul até as Nações Unidas.

É impressionante a diferença de abordagem do Secretário Geral da OEA, frente ao
STF, por exemplo. Enquanto a Ministra Rosa Weber indaga a Presidenta Dilma para
saber por que se refere ao Impeachment como Golpe, o chefe da OEA parece querer
saber do STF por que se refere ao Golpe como Impeachment.

Todo o planeta e até a velhinha de Taubaté sabem que o impeachment é golpe, que
serve apenas para amordaçar o Ministério Público e a Justiça. Que o Golpe serve
apenas para livrar a cara de Aécio Neves, Eduardo Cunha, Romero Jucá, José
Serra e todos os que foram listados na lista da Odebrecht, na lista de Furnas,
na lista do Ministério Público da Suíça, na Operação Zelotes, na Lista do HSBC,
que traz à tona a quase totalidade do congresso nacional e do senado federal,
com graves implicações nos Estados, inclusive no Pará.

Pois não faz muito tempo,
políticos paraenses foram vistos adulando e bajulando figuras como Eduardo
Cunha e Aécio Neves. Teve até deputado federal do Pará, processado no STJ,
fingindo conduzir o ex presidente Lula, quando quem pode ser conduzido a cela é
ele mesmo.

A OEA está de olho no Brasil, mas, estranhamente, quem se arvorou a ir as ruas
pedindo o fim da corrupção, hoje está calado, sem bater panelas, com a camisa
da seleção guardada esperando pela Copa América, pois, por vergonha própria ou
alheia à amarelinha, pode acabar esquecida no fundo da gaveta.

  


Curtiu? Compartilhe com os amigos!

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

Notícias sobre a atuação parlamentar do Deputado Estadual Carlos Bordalo (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Pará.

Email: dep.bordalo@alepa.gov.pa
Contato comunicação: bordalo13@gmail.com
Whatsapp: (91) 99319 8959

Gabinete: Assembleia Legislativa do Estado do Pará – Rua do Aveiro,130 – Praça Dom Pedro II, Cidade Velha – 66020-070 3° andar
Fone: 55 91 3182 8419 (ramal: 4368)

Copyright © 2019 Deputado Bordalo. Todos os Direitos Reservados.

Você se inscreveu com sucesso na newsletter

Ocorreu um erro ao tentar enviar sua solicitação. Por favor, tente novamente.

Blog do Bordalo will use the information you provide on this form to be in touch with you and to provide updates and marketing.