Agência Nacional de Saúde reprova a metade dos planos de saúde que atuam no Pará.

Quinta-feira 25 de muito trabalho. No Pará, está reprovada pela ANS a metade dos planos de saúde que aqui atuam. E que de julho em diante não poderão mais deixar de atender aos procedimentos médicos e exames, sob pena de suspensão da venda dos planos. Boa atuação, ministro Padilha! 


  • Médicos das operadoras do plano de saúde de todo o país vão paralisar atividades hoje por 24 horas, protestando contra os baixos salários.
  • Aqui no Pará, o Detran.Pa entra em greve hoje, devido à ausência de diálogo efetivo com o governo Jatene. O PCCR prometido não passou da promessa.
  • Desde terça e até hoje, professores da rede pública de estados e municípios mantêm paralisação por 3 dias, em luta por remuneração, PPCR, valorização. 
  • Os bancos e as operadoras de saúde continuam em alta no quesito “péssima prestação de serviços”. 
  • Hoje encerra a eleição para a direção do Sindicato dos Bancários do Pará. 
  • E amanhã,sexta-feira 26, profissionais de saúde do Estado farão ato público contra a privatização da Santa Casa.

Bom dia e bom trabalho!



:::


Mais de um terço das operadoras de planos de saúde do Brasil foram alvo de alguma reclamação no primeiro trimestre de 2013, apontam dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Ao todo, 509 empresas, de 1.320 com beneficiários existentes no País no fim de 2012, foram alvo de 13.348 queixas ao órgão entre janeiro e março deste ano. No Pará, a metade dos planos de saúde que aqui atuam foram reprovados pela ANS. Das 12 operadoras, apenas 6 obtiveram Índice de Desempenho.

Os resultados representam um aumento de 17% na quantidade de empresas reclamadas e uma queda de 2% no volume de queixas em relação ao último trimestre de 2012.
A proporção de reclamadas chega à metade das empresas se consideradas apenas as operadoras médico-hospitalares – ou seja, que não oferecem exclusivamente serviços odontológicos. Havia 961 delas no Brasil no fim do ano passado, e a ANS recebeu queixas contra 480.
No caso das exclusivamente odontológicas, houve queixas contra 29, ou 8% se consideradas as  359 ativas no fim de 2012.
O monitoramento das reclamações pela ANS começou no início de 2012 e, desde então, o número de queixas mais que triplicou, de 2.981 no primeiro trimestre daquele ano para os 13.348 no mesmo período de 2013. O número de operadoras reclamadas quase dobrou, de 205 para 509, e a alta ocorreu tanto entre as médico-hospitalares (de 191 para 480) como entre as exclusivamente odontológicas (de 14 a 29).

ANS reprova metade dos planos de saúde no Pará

  • Das 12 operadores de planos de saúde que atuavam no Pará em 2011, data das últimas avaliações, apenas metade alcançou Índice de Desempenho.
  • São quase 100 mil paraenses atendidos por planos de saúde que mal cumprem metade das exigências da Agencia Nacional de Saúde (ANS). No Brasil, quase 50 milhões de pessoas são usuárias de planos de saúde.
  • A maior operadora é a UNIMED Belém com 323.169 beneficiários q/ recebeu nota intermediária.
  • Unimed/Belém, Beneficiência Nipo-Brasileira da Amazônia e a Líder Comércio e Industria Ltda, lideram as queixas entre os planos de saúde.
  • O desempenho de 6 planos de saúde no Pará não chega a 60% e 2 nem têm resultados.
  • No quesito”atenção à saúde”a melhor nota foi da Unimed Belém nas ações de promoção, prevenção e assistência, seguida da Casf- BASA.
  • A nota mais alta entre os planos de saúde no Pará foi da Casf- Caixa de Assistência do BASA, que tem 14.943 beneficiários.
  • A maior operadora é a UNIMED Belém com 323.169 beneficiários que recebeu nota intermediária.
  • A nota mais baixa dos planos de saúde no Pará foi da Plus Odonto Word Assistência Odontológica Limitada, com 449 beneficiários

::
Clique aqui para ver a situação dos planos de saúde no Pará.


Principais queixas – Levantamento da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) aponta reclamações, nos primeiros três meses deste ano, relacionadas ao não cumprimento de prazos máximos para atendimento e negativa de cobertura por parte de 509 operadoras de planos de saúde. Dessas, 480 são operadoras médico-hospitalares e 29 oferecem assistência exclusivamente odontológica. O levantamento foi divulgado hoje (24) pelo Ministério da Saúde.

Fique por dentro


Prazos máximos de atendimento de consultas, exames e cirurgias

Procedimento Dias úteis (máximo)
Consulta básica – pediatria, clínica médica, cirurgia geral, ginecologia e obstetrícia 7
Consulta nas demais especialidades médicas 14
Consulta/sessão com fonoaudiólogo 10
Consulta/sessão com nutricionista 10
Consulta/sessão com psicólogo 10
Consulta/sessão com terapeuta ocupacional 10
Consulta/sessão com fisioterapeuta 10
Consulta e procedimentos realizados em consultório/clínica com cirurgião dentista 7
Serviços de diagnóstico por laboratório de análises clínicas em regime ambulatorial 3
Demais serviços de diagnóstico e terapia em regime ambulatorial 10
Procedimentos de alta complexidade (PAC) 21
Atendimento em regime de hospital-dia 10
Atendimento em regime de internação eletiva 21
Urgência e emergência imediato
Consulta de retorno A critério do profissional



Denuncie a situação do seu plano de saúde. Ligue para 0800 701 9656 , faça contato pelo site da ANS.


::
Clique na imagem para ler toda a reportagem de O Liberal



Curtiu? Compartilhe com os amigos!

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

Notícias sobre a atuação parlamentar do Deputado Estadual Carlos Bordalo (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Pará.

Email: dep.bordalo@alepa.gov.pa
Contato comunicação: bordalo13@gmail.com
Whatsapp: (91) 99319 8959

Gabinete: Assembleia Legislativa do Estado do Pará – Rua do Aveiro,130 – Praça Dom Pedro II, Cidade Velha – 66020-070 3° andar
Fone: 55 91 3182 8419 (ramal: 4368)

Copyright © 2019 Deputado Bordalo. Todos os Direitos Reservados.