Escola abandonada no Jurunas é o retrato da educação no Pará

Sem categoria
A foto é do que seria a obra da Escola Estadual Marluce Pacheco, no bairro do Jurunas.  Obra iniciada em 2011 e paralisada, no mesmo ano, com 70% concluída. A escola custaria ao Estado R$ 5 milhões, sendo que R$ 4 milhões foram gastos. A obra estava em fase de acabamento e, com o abandono, tudo foi roubado, saqueado e destruído, desde janelas, banheiros e a cobertura. Agora estão roubando a estrutura metálica fincada no prédio.
Para retomar a obra, o Governo do Estado vai ter que gastar mais do que o valor que estaria destinado em 2011. Enquanto isso, os alunos que já deveriam estar nas salas de aula, estão num galpão alugado na Estrada Nova, num espaço inadequado e insalubre.
Já solicitei à Seduc , através de Requerimento, informações a respeito do plano de reformas e ampliação das escolas localizadas em Belém e região metropolitana. O Requerimento foi entregue à Secretária de Educação, Ana Cláudia Hage, em recente audiência da Comissão de Direitos Humanos na Seduc. Daqui a duas semanas, a Secretária vem ao parlamento para mostrar o que está sendo feito para melhorar a educação no Estado.
       
A situação da escola Lúcia Pacheco é apenas um exemplo de como está a educação pública no Pará. O governo do Estado precisa reconhecer o fracasso e dar um salto qualitativo para mudar o triste quadro atual.

A precarização do sistema educacional colocou o Estado do Pará entre os Estados da região norte com o pior Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) no ensino médio de escolas estaduais em 2013. Há três anos consecutivos o desempenho das escolas públicas paraenses vem se mantendo abaixo da média nacional, que é de 3,4 pontos. No Ensino Médio, 31,7% dos jovens na faixa de 19 anos conseguem concluir os estudos. Isso significa que a cada 10 jovens que hoje estão matriculados nessa modalidade de ensino, apenas três chegarão ao final e terão as condições mínimas para acessar o mercado de trabalho, já que o certificado de conclusão do Ensino Médio é um pré-requisito.

Curtiu? Compartilhe com os amigos!

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

Notícias sobre a atuação parlamentar do Deputado Estadual Carlos Bordalo (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Pará.

Email: dep.bordalo@alepa.gov.pa
Contato comunicação: bordalo13@gmail.com
Whatsapp: (91) 99319 8959

Gabinete: Assembleia Legislativa do Estado do Pará – Rua do Aveiro,130 – Praça Dom Pedro II, Cidade Velha – 66020-070 3° andar
Fone: 55 91 3182 8419 (ramal: 4368)

Copyright © 2019 Deputado Bordalo. Todos os Direitos Reservados.

Você se inscreveu com sucesso na newsletter

Ocorreu um erro ao tentar enviar sua solicitação. Por favor, tente novamente.

Blog do Bordalo will use the information you provide on this form to be in touch with you and to provide updates and marketing.