Um péssimo exemplo para crimes de ontem e de hoje

Blog do Bordalo tortura
Uma vergonha a decisão do Supremo, de ontem, de manter a atual interpretação da Lei da Anistia, negando a punição dos torturadores, na contramão dos tratados internacionais dos quais o Brasil é signatário. Mais lamentável é que o relator do caso, ministro Eros Grau, tenha votado contra as punições tendo sido um ex-preso político e torturado nos porões do regime militar.
O próprio ministro Gilmar Mendes já havia declarado, durante o julgamento do italiano Cesare Batistti que a tortura não é crime político. Não entendo porque, então, se voltou atrás. Punir esses criminosos nada tem a ver com a anistia dos políticos que serviram à ditadura, estes sim, embora usurpadores do poder democrático e coniventes com a tirania, tem que ser atingidos pela Anistia de 1979. Ese foi o verdadeiro acordo firmado nessa ocasião “para acelerar o proceso democrático”.
Pior ainda foi o ex-presidente do Tribunal falar que “o Brasil é devedor desses companheiros, não de armas, mas da política. Aqueles que realmente acreditaram na via do diálogo e na política como forma de construir soluções “. Tentando separar em qualidade os que pegaram em armas e os que apostaram na luta institucional, ainda que autoritária e ilegítima. Ambos tem os méritos de ajudarem a derrotar aquele regime, inclusive pegar em armas nessas circunstâncias pode ser a última alternativa, como foi para muitos naquela época.

Merece os aplausos o sempre coerente Carlos Ayres Brito, jurista que dignifica o Brasil, que taxou:”O torturador é um monstro, é um desnaturado, é um tarado. O torturador é aquele que experimenta o mais intenso dos prazeres diante do mais intenso dos sofrimentos alheios perpetrados por eles”. Esse personagem sinistro – o torturador – ainda vive “solto” pelas delegacias, cativeiros e presídios do país. Que “belo” exemplo foi dado, então, pelo Supremo!


Curtiu? Compartilhe com os amigos!

Posts Relacionados

  1. Olha isso Bordalo:

    Foro privilegiado para PMs? Por quê?
    Publicado em 29-Abr-2010
    Não dá para concordar com o foro especial…

    Não dá para concordar com o foro especial – na Justiça Militar – defendido pelo governo para PMs acusados de cometer crimes contra civis durante ações policiais.Parecer enviado pelo presidente Lula ao Supremo Tribunal Federal (STF) defende a imunidade dos integrantes da corporação, salvo em casos de crimes contra a vida. Estes já são apurados pela Justiça comum e julgados por tribunais de júri.

    Ainda sem data para julgamento no STF, a ação é considerada pela própria Associação de Delegados de Polícia do Brasil (ADEPOL) como favorável à impunidade de PMs acusados de agressão física, corrupção, extorsão entre outros crimes. Repito: não dá para concordar com a medida, primeiro porque PM não é militar, é policial civil fardado; segundo, porque polícia preventiva não tem poder de autoridade judicial para instaurar e presidir inquéritos, competência da polícia civil.

    Impossível entender essa defesa assumida pelo governo. Assim, vamos promover e estimular ainda mais a violência policial e a impunidade. Equiparar PMs a militares, como defende a Advocacia-Geral da União, é um erro. Pior ainda neste exato momento em que oficiais e policiais militares cometem crimes de tortura e morte no Estado mais desenvolvido do país, São Paulo. Manter um foro especial privilegiado para PMs é um erro. Para quê? Com qual objetivo?

    Permalink
  2. Não se avexe Bordalo que um dia a justiça virá!

    Permalink
  3. Perdemos uma oportunidade histórica. Não duvido que agora esses fascistas vão querer ir pra uma ofensiva contra a esquerda porque se sentiram protegidos pela nossa mais alta corte judiciária.

    Permalink
  4. Não me identifico, mas como brasileiro, democrata e paraense que lutou contra a ditadura e sofreu alguns danos pessoais por essa luta sinto-me envergonhado.

    Permalink
  5. O Supremo em vez de fazer um julgamento ´jurídico de qualidade, como sempre faz, ontem resolveu se meter a um julgamento político..tsc tsc tsc. Pode?

    Permalink
  6. Quanto medo! Quanta impunidade! Ontem foi um dia pra se esquecer na nossa História!

    Permalink
  7. quem deve de tá se regozijando com isso é o coronel xexéu Jarbas Passarinho…

    Permalink

Leave a Comment

Notícias sobre a atuação parlamentar do Deputado Estadual Carlos Bordalo (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Pará.

Email: dep.bordalo@alepa.gov.pa
Contato comunicação: bordalo13@gmail.com
Whatsapp: (91) 99319 8959

Gabinete: Assembleia Legislativa do Estado do Pará – Rua do Aveiro,130 – Praça Dom Pedro II, Cidade Velha – 66020-070 3° andar
Fone: 55 91 3182 8419 (ramal: 4368)

Copyright © 2019 Deputado Bordalo. Todos os Direitos Reservados.