Secretário de comunicação de Jatene chama jornalista de cadela

Blog do Bordalo POST NEY MESSIAS

No blog da jornalista Franssinete Florenzano esta denúncia estarrecedora. O secretário de Comunicação do governo Jatene chama a jornalista de cadela no facebook (Clique na imagem acima para ler). 

Lembro que a companheira Ana Júlia, enquanto governadora do Pará, foi muitas vezes atacada de forma machista e preconceituosa pelos tucanos, como o sr. Ney Messias faz agora com a prezada jornalista. 

Meu total repúdio a esse gesto que merece resposta imediata e minha solidariedade à mulher, jornalista e blogueira. O que é que é isso?
===

Ao governador Simão Jatene

Senhor governador Simão Jatene,

Acabo de receber de um leitor que nem conheço, mas que viu, ficou indignado e copiou
comentário do seu secretário de Comunicação, Ney Messias, em que, covardemente,
como é de seu feitio, me chama de cadela.

Sim, ca-de-la. 

O que o senhor sentiria se tais palavras e atitudes fossem
dirigidas à sua esposa e à sua filha?

Pois pense no que eu, o meu marido, a
minha filha e os demais membros da minha família estão sentindo agora.

Para
dirimir dúvidas, leia a postagem aí em cima.

Fui verificar a infâmia e ele, fiel
à sua trajetória torpe, apagou o post. Mas eu o tenho a salvo, para mostrar a
todos a sua verdadeira face, revelada por si mesmo.

É isso que o senhor oferece a uma cidadã honesta, servidora pública estadual com
28 anos de serviço, que trabalhou e muito no seu governo anterior, acreditando
na sua honestidade de propósitos? Um secretário de Comunicação que se porta de
forma imunda, agride a todos os que não fazem parte de sua panelinha, passa o dia inteiro escrevendo bobagens no twitter – com
conteúdo e grafia só admissíveis para um pré-adolescente -, pago pelo dinheiro
do povo?!

O senhor sabe que o seu secretário de Comunicação ofende a qualquer um que ouse
exercer o direito constitucional de livre manifestação e expressão nas redes
sociais?

Que vive a espalhar boatos afrontando a honra alheia?

Que ao invés de
trabalhar para merecer o salário e vantagens que usufrui – bancado pelo meu,
pelo seu, pelo nosso dinheiro como contribuintes – comete injúrias, calúnias e
difamações no horário de expediente?

O senhor tem conhecimento de que ele
chegou ao ponto de ligar para o chefe de uma jornalista da TV Liberal – sem o consentimento
dos donos, é óbvio – e pedir a cabeça dela só porque ela retuitou algo de que ele não gostou?

E que agiu da mesma
maneira com mais duas jornalistas? Isso tem nome, e se chama coação moral, intimidação, abuso de autoridade. Isso é crime.

O senhor aprova tal conduta?

É
isso que o senhor considera Comunicação Social?

O senhor lembra de quando reuniu os jornalistas que atuavam no seu governo anterior
e falou de trabalhar com paixão? Eu lembro. Eu acreditei. Dei o meu sangue,
renunciei à minha vida pessoal e à minha saúde. Para que? Para o seu atual
secretário de Comunicação enxovalhar publicamente a minha honra? Para o seu
atual governo abrigar em cargo do primeiro escalão um indivíduo sem a menor
qualificação e que não cumpre os mais básicos requisitos e deveres do serviço
público, nem respeita os princípios insculpidos na nossa Constituição?!

Eu exijo que o seu nefando secretário de Comunicação me respeite, como ser humano,
mulher, mãe, jornalista, advogada, servidora pública, cidadã!

Tal ignomínia não
pode ser perpetrada impunemente. Se o senhor acobertar esse comportamento será no
mínimo conivente.

O Estado do Pará não merece tão abominável personalidade em cargo público cujas
atribuições envolvem justamente fazer a ponte entre o governo e a sociedade.

A
imediata exoneração desse sujeito é a única resposta sua à necessidade imperiosa
de observar os princípios da moralidade, legalidade, impessoalidade e
finalidade, que regem a Administração Pública, e que devem nortear seus
agentes.

Para o senhor ter uma ideia do que pensam do seu secretário de Comunicação, sugiro
que leia os comentários A
fogueira da vaidade
no meu blog e no Facebook,
dos quais destaco um que é de eleitor seu:


“Como compositor, escritor e artista plástico, posso
falar por conhecimento!

Realmente o governo
PODERIA “se quisesse” ajudar, evitarei relatar o óbvio abaixo!


Tem o MELHOR
estúdio das regiões Norte e Nordeste na rádio Cultura, porém tente conseguir
gravar lá, nem pagando quanto mais de graça!
Nunca patrocinou um único festival com eliminatórias
nos quatro cantos do estado!

Nunca teve um único projeto com o objetivo de
divulgar nossos trabalhos lá fora, exceto uma única vez na França porque pelo
teor do evento era obrigado!

Nunca procurou levantar
o nosso carnaval, os compositores paraenses são requisitadíssimos além de
nossas fronteiras vide Rio e São Paulo onde vendem autoria obrigados pela
necessidade e São Luiz e Macapá onde quase 90% dos sambas de enredo que cantam
ou cantaram na passarela são nossos!

A cidade da Vigia
exporta músicos para o mundo e tem não uma e sim TRÊS das escolas de músicos
mais antigas do PAÍS existindo sem um centavo de subvenção (da prefeitura, do
estado ou de Brasília), apenas na base do talento!

Na divulgação da
parte literária na nossa Feira Pan Amazônica os escritores paraenses não têm ao
menos uma estande de destaque, nossos livros ÀS VEZES são comprados para compor
biblioteca e quando os livros são vendidos no varejo via cartão Banpará pode
esperar 60 dias para o reembolso!

Tente uma exposição
de artes plásticas (belas artes) ou publicar qualquer tipo de imagem através da
Secretaria de Cultura incluindo pintura, fotografia, desenho, gravura,
escultura, charges, caricaturas, e correlatos sem ser explícito que te perguntam
O QUE É ISSO ?

No encerramento da
última Feira Pan Amazônica (a primeira do atual governo) ouvimos a cantora italiana
Mafalda Minnozzi, o percussionista paulista Kabé Pinheiro, no violão e guitarra
o maranhense Ricci e o Felipe Alves também paulista no baixo!

Garanto que tocando
e cantando as mesmas músicas nós não faríamos feio e que no quesito guitarra e
percussão daríamos de 10 a 0, porém perderíamos no quesito cachê, sem passagem,
hospedagem e alimentação !

O governador e
todos que estavam presentes ouviram de minha boca no encontro de artistas no
comitê da Pedro Álvares Cabral antes do segundo turno estas palavras: “Jatene o
estado é um celeiro de intelectuais de uma obra só, por falta de apoio”, ele
concordou porém expôs que haveriam outras prioridades, contudo se fez entender
que no seu governo não seria “Casa de ferreiro espeto de pau” e encarregou o
Ney “NA HORA” de “FAZER ACONTECER”! 

O resto todo mundo
conhece!


*** Divulgação só
elege poste quando passa a imagem de sua utilidade, seja como suporte de
lâmpada, seja como condutor de fio, dissimulando o obstáculo para pedestre***
E como Jatene não é poste se houver continuidade
evitará colocarem “concreto” na sua forma ainda esse ano, afinal 2012 é um ano
de jogo por ser um ano par!

Aguardo a única atitude
justa e correta que o senhor pode tomar, governador Simão Jatene.
Respeitosamente,

Franssinete Florenzano


Curtiu? Compartilhe com os amigos!

Posts Relacionados

Leave a Comment

Notícias sobre a atuação parlamentar do Deputado Estadual Carlos Bordalo (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Pará.

Email: dep.bordalo@alepa.gov.pa
Contato comunicação: bordalo13@gmail.com
Whatsapp: (91) 99319 8959

Gabinete: Assembleia Legislativa do Estado do Pará – Rua do Aveiro,130 – Praça Dom Pedro II, Cidade Velha – 66020-070 3° andar
Fone: 55 91 3182 8419 (ramal: 4368)

Copyright © 2019 Deputado Bordalo. Todos os Direitos Reservados.