Quebra de patentes dos remédios da AIDS: Serra ameaçou, Lula quebrou

Sem categoria

Blog do Bordalo remédios laço
Do blog Viomundo:

O Programa Nacional de DST e Aids não começou nem terminou na gestão Serra. É mérito de vários governos, a partir de 1985.

Em 2001, Serra ameaçou quebrar as patentes de dois remédios do “coquetel” antiaids: nelfinavir, da Roche, e efavirenz, da Merck, Sharp & Dhome. Argumento: abuso do poder econômico. Após negociações, chegou-se a um acordo.

Em 2005, a queda de braço foi com a Abbott, e o lopinavir/ritonavir, o alvo. O ministro da Saúde era Humberto Costa. De novo, se negociou e se chegou a um acordo.

Em 2007, o ministro da Saúde já era José Gomes Temporão e, na berlinda, mais uma vez, o efavirenz, o remédio importado mais usado. A maior parte dos pacientes começa com o “coquetel” que associa AZT (zidovudina), 3TC (lamivudina) e efavirenz. É a combinação de primeira linha.

Na época, o Brasil pagava à Merck US$1,56 por comprimido. O que se pretendia era adquiri-lo pelo mesmo preço vendido à Tailândia — US$ 0,65. O Ministério da Saúde negociou exaustivamente. Apesar do volume — tratamento para 75 mil pacientes! –, a multinacional não cedeu.

Em conseqüência, o ministro Temporão e o presidente Luis Inácio Lula da Silva decretaram o primeiro licenciamento compulsório de um remédio no Brasil. O País começou a comprar efavirenz da Índia (que não reconhece patentes) por US$ 0,46 a unidade. Paralelamente, Farmanguinhos, que faz parte da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) do Ministério da Saúde, desenvolveu todo o medicamento: da fabricação da matéria-prima ao remédio final, para ser consumido. Em fevereiro de 2009, o primeiro lote foi entregue. Cada comprimido sai a US$ 0,60, devido ao maior custo de produção no Brasil. Só este ano US$ 30 milhões serão economizados.

“A licença compulsória não é para se fazer economia pura e simplesmente. Medidas como essa nos permitem usar melhor o recurso público e introduzir novas drogas”, expõe Mariângela Simão. “A longo prazo, esse salto tecnológico nos possibilitará desenvolver novas moléculas e garantir a sustentabilidade do PN-DST/Aids.”

Leia a reportagem completa sobre mais essa mentira tucana no post Serra assume como dele programa criado por Lair Guerra e Adib Jatene.


Curtiu? Compartilhe com os amigos!

Posts Relacionados

  1. A verdade começa a vir a tona…bye bye Serra 2010!

    Permalink
  2. Muito bom esse histórico deputado, pra ninguém cair na velha propaganda demotucana. Conta mais conta mais

    Permalink
  3. isso mesmo Bordalo,
    foi todo um processo histórico até aqui e os tucanos de novo querem levar o bônus sozinhos. Canalhas!

    Permalink
  4. Então foi o Temporão e não o Serra que livrou os portadores do Hiv dessa desgraça das patentes?? Putz! nem isso eles tem mais pra motrar!

    Permalink
  5. Bordalo,
    O PSDB faz com os temédios da AIDS a mesma coisa que tentam fazer com os programas sociais do Lula, dizendo que foram eles os pais da criança quando pouco tiveram a ver com isso. Até o Bolsa-Escola que eles dizem que foi crianção deles, antecessor do Bolsa-Família, foi copiada das prefeituras do PT, espcificamente do governo Cristóvam em Brasília.

    Permalink

Leave a Comment

Notícias sobre a atuação parlamentar do Deputado Estadual Carlos Bordalo (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Pará.

Email: dep.bordalo@alepa.gov.pa
Contato comunicação: bordalo13@gmail.com
Whatsapp: (91) 99319 8959

Gabinete: Assembleia Legislativa do Estado do Pará – Rua do Aveiro,130 – Praça Dom Pedro II, Cidade Velha – 66020-070 3° andar
Fone: 55 91 3182 8419 (ramal: 4368)

Copyright © 2019 Deputado Bordalo. Todos os Direitos Reservados.