O nhe-nhe-nhém de FHC

Sem categoria


É de dar pena o artigo escrito neste domingo para o Estadão, e reproduzido no Liberal, pelo magoado, amoado, despeitado (e esquecido) ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (leia as duas notas abaixo). Realmente, pior do que ser abandonado pelos filhos num asilo, só mesmo a indiferença popular com o outrora vaidoso “príncipe da sociologia”.

Na argumentação de Para Onde Vamos? o velho FHC traz elementos que faço questão de responder:

“Por que fazer o Congresso engolir, sem tempo para respirar, uma mudança na legislação do petróleo mal explicada, mal-ajambrada?”

– Para que o Pré-Sal sirva ao desenvolvimento da educação básica, inovação tecnológica, saneamento entre outras e não para engordar o bolso de empresas privadas estrangeiras como as que assessoram o PSDB na natimorta, sem foco e propósito CPI da Petrobrás.

“Por que anunciar quem venceu a concorrência para a compra de aviões militares, se o processo de seleção não terminou?”

– Para forçarmos o barateamento de preços e a garantia da transferência tecnológica, pois, ao contrário da sua “teoria”, não acreditamos em “desenvolvimento dependente”.

“Por que antecipar a campanha eleitoral e, sem nenhum pudor, passear pelo Brasil à custa do Tesouro (tirando dinheiro do seu, do meu, do nosso bolso…) exibindo uma candidata claudicante?”

– O Supremo em julgamento indeferiu esse discurso eleitoreiro expresso em ação de justiça protocolada pelos demos-tucanos. Campanha fora de época é José Serra visitar o Nordeste sendo governador de São Paulo e a escandalosa campanha publicitária nacional da SABESP. Dilma cumpre agenda de governo. Agora se as obras saem do papel e aterrorizam o senhor, é outra história.

“Por que, na política externa, esquecer-se de que no Irã há forças democráticas, muçulmanas inclusive, que lutam contra Ahmadinejad e fazer mesuras a quem não se preocupa com a paz ou os direitos humanos?”

– “Forças democráticas” amplamente derrotadas nas urnas. Ademais o líder dessa oposição foi primeiro-ministro de Komeini. Mas, o que importa mesmo é o Brasil seguir diversificando seu comércio exterior para acumularmos reservas ainda mais recordistas do que temos e seguirmos no caminho da prosperidade econômica com justiça social. O tempo do monopólio comercial com EUA e UE acabou em 2002, quando seu candidato foi fragorosamente derrotado pelo povo.


Curtiu? Compartilhe com os amigos!

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

Notícias sobre a atuação parlamentar do Deputado Estadual Carlos Bordalo (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Pará.

Email: dep.bordalo@alepa.gov.pa
Contato comunicação: bordalo13@gmail.com
Whatsapp: (91) 99319 8959

Gabinete: Assembleia Legislativa do Estado do Pará – Rua do Aveiro,130 – Praça Dom Pedro II, Cidade Velha – 66020-070 3° andar
Fone: 55 91 3182 8419 (ramal: 4368)

Copyright © 2019 Deputado Bordalo. Todos os Direitos Reservados.

Você se inscreveu com sucesso na newsletter

Ocorreu um erro ao tentar enviar sua solicitação. Por favor, tente novamente.

Blog do Bordalo will use the information you provide on this form to be in touch with you and to provide updates and marketing.