Insegurança. Assaltos aterrorizam sul e sudeste do Pará

Blog do Bordalo O carro foi removido para dar passagem a outros veiculo e sequencia C3A0 perseguiC3A7ao1

O carro do bancário do banco do Brasil de Canaã dos Carajás. Veículo foi incendiado e abandonado na estrada,a mesma em que foram largados os reféns. (Foto do blog do Zé Dudu).

O noticiário dos dois últimos dias mostram o abandono e a insegurança da população do Pará, em especial das regiões Sul e Sudeste, aterrorizadas por assaltantes de bancos, lotéricas, comércio. O policiamento é insuficiente, falta investimento e valorização dos policiais.

Ao invés de investir em salários, mais pessoal, qualificação e estratégia, o governo Jatene preferiu aprovar ontem, na urgência atropelatória, o PL/179 que aumenta o número de cargos comissionados (DAS), onera a folha em quase R$ 4 milhões de reais e concentra muito poder na mão do xerife da secretaria de sgeurança pública. Concentra poder, tenta calar a voz a da sociedade organizada e não resolve o gravíssimo problema da segurança. Que só aumenta, como aconteceu em Canaã dos Carajás e Pacajá. Já são 57 roubos a banco este ano. Em 2010, só pra comparar, foram 21. O Sindicato dos Bancários do Pará denuncia que já pediu a retomada do Grupo de Trabalho paritário de segurança bancária, mas nada foi feito nesse sentido. E diz a presidenta do Sindicato:” Não vamos deixar de denunciar a violência contra os bancários e a população, assim como a omissão dos bancos e do governo. Exigimos uma solução para esse problema”.

Acompanhe aqui o terror que viveu Canaã, contado pelo blog do Zé Dudu:

Insegurança: quadrilha que assalta bancos no sul e sudeste do Pará e PM trocam tiros em Canaã dos Carajás

Entusiasmados com a falta de segurança que prevalece no sul e sudeste do Pará, mesmo o governador Jatene teimando em dizer o contrário, bandidos tentam nessa manhã de terça-feira assaltar  a agência do Banco do Brasil em Canaã dos Carajás. A cidade está em polvorosa com a troca de tiros entre as polícias civil e militar e a quadrilha. Por lá, o que se comenta é que a sede do município virou um verdadeira cidade dos faroestes americanos, bala pra todo lado. Não há, até o momento, informações de vítimas. Este é o 31º assalto ou tentativa de assalto a bancos no sul e sudeste do Pará segundo o Sindicato dos Bancários do Pará.
Atualização às 16 horas
Após o assalto cinematográfico a agência do BB em Canãa, registrou-se uma avalanche de ocorrências criminosas em vários estabelecimentos comerciais da cidade, supermercados, joalherias, lojas, casa lotérica e etc… totalizando até o momento 7 assaltos. A cidade ficou totalmente órfã de segurança. Segundo um comentarista do Blog, “ os queijos ficaram expostos e os ratos agiram e estão agindo à vontade”.
Atualização às 18 horasPor Francesco Costa –  Na manhã de hoje, por volta das 10 horas, o assalto da agência do Banco do Brasil de Canaã dos Carajás deixou a população em pânico. A quadrilha fez reféns e aterrorizou tanto os clientes do BB quanto transeuntes nas proximidades do local na hora do ocorrido.
De acordo com informações prestadas pelo Comandante do 23º BPMPA (Batalhão da Polícia Militar do Pará), Tenente Coronel Roberto, a ação foi feita por seis homens fortemente armados que chegaram atirando e fazendo reféns. Em seguida deixaram o local levando duas reféns e uma quantia em dinheiro não divulgada pela gerência do banco.
A fuga da quadrilha foi pela vicinal VP 22 e para isto foram usados dois veículos tomados de assalto na porta da agência, um gol e um Polo, que levava o dinheiro e os reféns.
O bando percorreu pela VP 22 cerca de 10 km do centro de Canaã dos Carajás, seguido pelas viaturas das polícias civil e militar, e para dificultar a perseguição usou o veículo polo como barricada ateando fogo no veículo sobre uma ponte. Antes de queimar o veículo liberou os reféns e retirou o dinheiro do interior do veículo. A fuga prosseguiu temporariamente segura, já que a polícia não podia efetuar disparos pelo fato de que os reféns estavam na linha de fogo e a ponde estava obstruída pelo veículo em chamas.
Onda de violência – Após o assalto ao banco do Brasil pelo menos outros 15 comércios: bares, lanchonetes, lojas, supermercados, mercadinhos e joalherias foram assaltados e o terror plantado na cidade, não deixando feridos a bala. Com medo de sofrer assaltos grande parte do comércio, entre eles a Casa Lotérica, fechou as portas por longos períodos.
A última a ser assaltada foi uma joalheria, por volta de 14h, e simultaneamente duas motocicletas foram tomadas de assalto.
Precedente – Esta não é a primeira vez que a agência do Banco do Brasil em Canaã dos Carajás sofre assaltos, nas demais vezes, coincidentemente a ação tem ocorrido no mês de dezembro. Fato que é explicado pelo Tenente Coronel Roberto como resultado de período do aumento do fluxo de dinheiro nas mãos das pessoas que consequentemente atrai a atenção dos assaltantes.
E o que conta o portal do Sindicato dos Bancários:

Onda de assaltos a bancos nesta terça aterroriza o interior do Pará

Uma onda de assaltos a bancos praticados em um mesmo dia volta a aterrorizar a população paraense nesse ano. Nesta terça-feira, 6 de dezembro, dois assaltos ocorreram no Estado: um no Banco da Amazônia em Pacajá, no Sudoeste do Pará; e outro na agência do Banco do Brasil em Canaã dos Carajás, região sudeste do Estado.
Em Pacajá, o crime praticado foi na modalidade sapatinho. Os assaltantes fizeram a gerente do Banco da Amazônia e seus três filhos reféns desde a noite de ontem (5). Por volta das 8 horas da manhã de hoje, eles foram levados pelos bandidos até a agência juntamente com o tesoureiro da unidade. Os assaltantes colocaram um cinturão de explosivos na bancária para garantir o assalto. Ela, seus filhos e o tesoureiro da agência continuaram sob o poder dos assaltantes durante a fuga. A polícia localizou os reféns por volta das 15 horas, em ramal da zona rural da cidade.
Já em Canaã dos Carajás uma quadrilha formada por aproximadamente 10 homens espalhou medo pela cidade. Primeiro, assaltaram uma casa lotérica. Em seguida, já por volta das 11 horas, praticaram a modalidade “vapor” na agência do Banco do Brasil.
O grupo metralhou a fachada da agência do BB e faz todos os funcionários e clientes de reféns. Eles roubaram todo o dinheiro do cofre principal e também tudo o que estava nos caixas já abertos. Na fuga, os assaltantes levaram quatro funcionários, uma vigilante e mais dois Policiais Militares como reféns, e usaram os clientes da agência como escudo humano para garantir a fuga.
A quadrilha utilizou o carro de um funcionário do Banco e dois carros de clientes para fugir. Os reféns foram libertados em um ramal a 10 km do local do assalto. Os bandidos atearam fogo no carro do bancário e seguiram em fuga em direção ao município de Xinguara. A polícia faz buscas ao bando na região.
História que se repete
Essa situação de mais de um assalto em um mesmo dia já ocorreu em outras três vezes nesse ano no Pará. No dia 10 de fevereiro, ocorreram dois assaltos em agências do Banco do Brasil, um em Santo Antônio do Tauá e outro em Rio Maria. No dia 6 de junho os alvos dos bandidos foram as agências do Banco da Amazônia em Rurópolis, e do Banco do Brasil em São Domingos do Araguaia. No dia 15 de setembro, mais dois assaltos em um mesmo dia e na mesma cidade: no Bradesco e no Banco do Brasil de Santana do Araguaia. Recentemente, no dia 2 de dezembro, outros dois assaltos a banco em um mesmo dia: no Banco do Brasil de Jacundá e no Banco da Amazônia em Tailândia. E hoje, 6 de dezembro, a história voltou a se repetir…
Estatísticas que não param de crescer
A situação da insegurança bancária torna-se cada vez mais preocupante no Pará. Se em 2010 o Sindicato dos Bancários registrou 25 ocorrências de assaltos a bancos no Estado; em 2011 esse número já pulou para 33 assaltos e mais 9 tentativas, o que nos dá uma soma de 42 ocorrências e um crescimento de 68% de casos de assalto a banco comparado com o ano anterior.
É inadmissível que os números de assaltos a bancos no Pará tenham crescido com essa proporção em menos de um ano e o Governo do Estado não tenha dado uma resposta convincente para combater a insegurança bancária no Pará. A omissão dos bancos e da Segurança Pública tem deixado os trabalhadores bancários e a população paraense reféns da ação das quadrilhas especializadas em roubo a banco” afirma a presidenta do Sindicato dos Bancários do Pará, Rosalina Amorim.
A dirigente sindical complementa dizendo que “já solicitamos ao secretário de segurança a retomada do Grupo de Trabalho paritário de segurança bancária, mas nada foi feito nesse sentido. Não vamos deixar de denunciar a violência contra os bancários e a população, assim como a omissão dos bancos e do governo. Exigimos uma solução para esse problema”.

Curtiu? Compartilhe com os amigos!

Posts Relacionados

Leave a Comment

Notícias sobre a atuação parlamentar do Deputado Estadual Carlos Bordalo (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Pará.

Email: dep.bordalo@alepa.gov.pa
Contato comunicação: bordalo13@gmail.com
Whatsapp: (91) 99319 8959

Gabinete: Assembleia Legislativa do Estado do Pará – Rua do Aveiro,130 – Praça Dom Pedro II, Cidade Velha – 66020-070 3° andar
Fone: 55 91 3182 8419 (ramal: 4368)

Copyright © 2019 Deputado Bordalo. Todos os Direitos Reservados.