Comissão de Direitos Humanos da Alepa repudia decreto que exclui participação da sociedade civil no Conad

Sem categoria

A Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa), presidida pelo deputado Bordalo (PT-PA), por meio de nota manifesta repúdio e preocupação a exclusão de vagas destinadas a especialistas e integrantes da sociedade civil no Conselho Nacional de Políticas sobre Drogas (Conad).

Decretado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) e publicada no Diário Oficial da União na segunda-feira (22) a decisão demonstra mais um ato autoritário do atual governo. É importante lembrar que o conselho foi criado em 2016 no primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e tem entre suas funções aprovar o Plano Nacional de Políticas sobre Drogas.

A participação da sociedade civil representa pluralidade e diversidade na construção de políticas públicas, significa maior aproximação de diálogo da sociedade com o Estado e permite monitoramento e fiscalização de demandas de grupos mais vulneráveis.

As vagas excluídas representavam oito entidades da sociedade civil organizada que tinham direito a indicar um representante no Conad: Ordem dos Advogados do Brasil (OAB); o Conselho Federal de Medicina (CFM); o Conselho Federal de Psicologia (CFP); o Conselho Federal de Serviço Social (CFESS); o Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) e o Conselho Federal de Educação (CFE), a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC).

Com o decreto a composição do órgão, basicamente, se restringiu a representantes do governo do atual presidente e com isso nega à sociedade participação a um debate democrático e dialógico com representantes sensíveis ao tema e especialistas como médicos, juristas, psicólogos entre outros.

Apesar do ato não causar surpresa, pois o governo vem extinguindo a participação de conselhos e colegiados subordinados à administração federal, tal atitude nos causa indignação e preocupação, a exemplo do Decreto 9761/2019, que institui nova Política Nacional de Drogas e que simboliza um grave retrocesso social na luta antimanicomial brasileira e que prevê até mesmo o uso de equipamentos para eletroconvulsoterapia, conhecido como choque elétrico.

Diante desse quadro a Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Alepa reafirma seu compromisso na luta antimanicomial e em parceria de longa data do mandato e da Comissão com o Conselho Regional de Psicologia.


Curtiu? Compartilhe com os amigos!

Posts Relacionados

Notícias sobre a atuação parlamentar do Deputado Estadual Carlos Bordalo (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Pará.

Email: dep.bordalo@alepa.gov.pa
Contato comunicação: bordalo13@gmail.com
Whatsapp: (91) 99319 8959

Gabinete: Assembleia Legislativa do Estado do Pará – Rua do Aveiro,130 – Praça Dom Pedro II, Cidade Velha – 66020-070 3° andar
Fone: 55 91 3182 8419 (ramal: 4368)

Copyright © 2019 Deputado Bordalo. Todos os Direitos Reservados.

Você se inscreveu com sucesso na newsletter

Ocorreu um erro ao tentar enviar sua solicitação. Por favor, tente novamente.

Blog do Bordalo will use the information you provide on this form to be in touch with you and to provide updates and marketing.