Candidatos excedentes que prestaram concurso para as polícias civil e militar do Estado compareceram à Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), nesta quarta-feira (28), para reivindicar que sejam nomeados pelo Governo do Estado. Eles foram recebidos pelo deputado estadual Carlos Bordalo (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Alepa. Os concursos […]

Candidatos excedentes reivindicam vagas nas polícias civil e militar

Sem categoria


Candidatos excedentes que prestaram concurso para as polícias civil e militar do Estado compareceram à Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), nesta quarta-feira (28), para reivindicar que sejam nomeados pelo Governo do Estado. Eles foram recebidos pelo deputado estadual Carlos Bordalo (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Alepa. Os concursos foram realizados em 2016 e tiveram todas as vagas preenchidas. No entanto, os candidatos excedentes afirmam que estão aptos a assumir novas vagas para diminuir o déficit das corporações. 

Wesley Meireles, representante da Comissão dos Excedentes da Polícia Militar, afirma que a Lei de Organização Básica (LOB) prevê cerca de 31 mil policiais militares para cobrir todo o Estado, enquanto o efetivo atualmente não chega a 15 mil servidores. O edital de 2016 ofertou duas mil vagas, sendo 1,8 mil para homens e 200 para mulheres, e deixou um excedente de 600 pessoas. 

“Estamos reivindicando que o governo chame os excedentes que ficaram aptos em todas as etapas do concurso, realizado em junho do ano passado, pois o Estado possui menos da metade do policiamento previsto em lei, com quase 500 habitantes para um único policial. Além disso, existe a perda de nossos companheiros que faleceram, outros que estão saindo ou se aposentando, e tudo isso diminui o efetivo”, argumenta. 

Jeferson Rocha, representante dos excedentes do concurso da Polícia Civil, informa que são 448 pessoas aptas para os cargos de investigador, escrivão e papiloscopista. “Estamos lutando pelo direito de sermos convocados e assim amenizar o problema estrutural que a polícia tem no Estado, um problema que se reflete diretamente no serviço prestado à população: delegacias fechadas, falta de efetivo, dificuldade de investigar e solucionar crimes”, diz ele, acrescentando que o concurso ofereceu apenas 650 vagas, que não chegam a cobrir o déficit de aposentadoria do órgão. “O governador precisa dar uma resposta para o aumento da criminalidade no Pará. Por isso esperamos que ele seja sensível à nossa causa, respondendo a uma demanda da própria sociedade”. 

Curtiu? Compartilhe com os amigos!

Posts Relacionados

  1. Tá na hora do governo dar um basta a essa onda de crimes e deficiência no serviço prestado pela nossa Polícia Civil e Polícia Militar!
    #ChamemTodos #ReferceaSegurançaPública #ConcursoPCPA2016 #ExcedentesPC2016

    Permalink

Deixe uma resposta

Notícias sobre a atuação parlamentar do Deputado Estadual Carlos Bordalo (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Pará.

Email: dep.bordalo@alepa.gov.pa
Contato comunicação: bordalo13@gmail.com
Whatsapp: (91) 99319 8959

Gabinete: Assembleia Legislativa do Estado do Pará – Rua do Aveiro,130 – Praça Dom Pedro II, Cidade Velha – 66020-070 3° andar
Fone: 55 91 3182 8419 (ramal: 4368)

Copyright © 2019 Deputado Bordalo. Todos os Direitos Reservados.

Você se inscreveu com sucesso na newsletter

Ocorreu um erro ao tentar enviar sua solicitação. Por favor, tente novamente.

Blog do Bordalo will use the information you provide on this form to be in touch with you and to provide updates and marketing.