Belém é a 10ª cidade mais violenta do mundo. Não adianta o governo Jatene tentar esconder o sol com a peneira

O assassinato brutal do jovem em Mosqueiro, espancado e seviciado nesta segunda-feira de carnaval, só confirma os dados oficiais que Belém é a 10ª cidade mais violenta do mundo. Jovens, pretos, pardos e pobres estão no topo da discriminação, do abandono e do extermínio. O governo Jatene, ao sonegar as informações, tenta esconder o sol com a peneira, mas a insegurança pública está presente em todo o Pará mostrando o abandono da população.


Como eu disse em meu twitter no dia 22, o Pará tem um assassinato a cada 4 horas e a Região metropolitana de Belém registra um assassinato a cada 8 horas.

A seguir, dois textos. O 1º mostra a sonegação de dados oficiais da violência no Pará; o 2º mostra que Belém é a 10ª cidade mais violenta do mundo.

 
Acompanhe:

No blog da Franssinete: (sobre a sonegação de dados oficiais)

Violência contra jovens

Amanhã, às 9h, a Comissão de Direitos
Humanos da Alepa, presidida pelo deputado Edilson Moura(PT) vai denunciar, em
entrevista coletiva à imprensa, o descaso dos órgãos de segurança pública do
Pará, que se negam a fornecer informações importantes sobre a violência contra
jovens no estado.

É
que o Grupo de Monitoramento da Violência Letal contra Adolescentes e
Jovens, criado para investigar denúncias de milícias e grupos de
extermínio, solicitou informações à
Secretaria de Segurança Pública, à Delegacia Geral da Polícia Civil, ao
Instituto Médico Legal e ao Ministério Público Estadual sobre todos os
homicídios de pessoas entre 12 a 25 anos, ocorridos no período de 2007 a
2011
no Estado do Pará. Contudo, só o MP respondeu, dizendo que não dispõe
dos dados.

A falta de colaboração está inviabilizando as
pesquisas sobre o alto índice de letalidade da juventude e, por consequência, a
formulação de propostas de políticas públicas eficazes. O grupo de Monitoramento é
composto pelo Centro de Defesa de Direitos da Criança e do Adolescente –
CEDECA/EMAÚS, Conselho Estadual de Direitos da Criança e do Adolescente – CEDCA,
Sociedade Paraense de Defesa dos Direitos Humanos – SPDDH, Conselho Municipal
de Direitos Humanos – CMDH, Comissão Justiça e Paz da CNBB, Laboratório de
Análise das Políticas Públicas de Segurança e Direitos Humanos da UFPA, ong
Icoaraci Periferia e Comissão de Paz de Icoaraci, além da Comissão de Direitos
Humanos e Defesa do Consumidor da Alepa.

**
No blog Terceira Via:

Insegurança Pública: Belém é a 10ª cidade mais violenta do mundo
 

Segue a Matéria:
 

Pelo menos 14 cidades brasileiras estão entre as mais violentas do mundo. A conclusão é do estudo feito pela organização não governamental (ONG) mexicana Conselho Cidadão para a Segurança Pública e Justiça Penal divulgado hoje (13). Especialistas da entidade listaram as 50 cidades mais violentas em todo mundo. 

O topo da lista é ocupado pela cidade de San Pedro Sula, em Honduras, com uma taxa de 158.87 homicídios para um grupo de 100 mil habitantes. Em segundo lugar, está Juárez, no México, com uma taxa de 147.77.
 

No Brasil, Maceió, capital alagoana, aparece como a mais violenta ocupando o terceiro lugar no ranking – com uma taxa de 135.26 homicídios para cada 100 mil habitantes.
 

Depois da capital alagoana estão Belém (PA) – em 10º lugar no ranking, com uma taxa de 78.08 homicídios para cada 100 mil habitantes; Vitória (ES), em 17o lugar, com taxa de 67.82; Salvador (BA), em 22º na lista, com 56.98 e Manaus (AM), em 26º, com 51.21.
 

Também são definidas como violentas as cidades de São Luís (MA), em 27º lugar no estudo, com taxa de 50.85 mortes violentas para cada 100 mil habitantes, João Pessoa (PB), em 29o, com 48.64; Cuiabá (MT), em 31o na lista, com taxa de 48.32; Recife (PE), em 32o lugar, com taxa de 48.23, Macapá (AP), em 36o, com 45.08; Fortaleza (CE), em 37o, com 42.90; Curitiba (PR), em 39o na lista, com 38.09; Goiânia (GO), 40o, com 37.17 e Belo Horizonte (MG), em 45º no ranking das cidades mais violentas, com taxa de 34.40 homicídios para cada 100 mil habitantes.
 

Das 50 cidades apontadas como as mais violentas do mundo, além das 14 brasileiras, 12 estão no México e cinco na Colômbia. O estudo analisou todas as cidades do mundo com mais de 300 mil habitantes que possuam informações estatísticas sobre homicídios.
 

A análise também informa que das 50 cidades, 40 estão na América Latina. Além disso, a organização alerta para o fato de que no México, as autoridades estão falsificando dados e escondendo o verdadeiro número de homicídios. A ONG diz que elas “não inspiram confiança em seus dados oficiais”, pois “há evidências de falsificação” para fazer com que a violência pareça menor do que ela realmente é.
 

Como exemplo, o estudo cita o caso da cidade mexicana de Juárez, que, segundo as autoridades, registrou 1.974 homicídios em 2011. Porém, o relatório da organização indica que o governo oculta pelo menos 150 homicídios. A entidade informa ainda que nesta cidade houve uma redução da violência, mas os números ainda são elevados. (Agência Brasil)

Confira a lista das cidades mais violentas do mundo, segundo a ONG Conselho Cidadão:

Ranking [Número de homicídios para cada 100 mil habitantes]

1º) San Pedro Sula – Honduras [159 homic[odios]
2º) Ciudad Juárez – México [148 homicidios]
3º) Maceió – Brasil [135 homicidios]
4º) Acapulco – México [128 homic[idios]
5º) Distrito Central – Honduras [99 homicídios]
6º) Caracas – venezuelana [98 homicídios]
7º) Torreón – México [88 homicídios]
8º) Chihuahua – México [83 homicídios]
9º) Durango – México [80 homicídios]
10º) Belém – Brasil [78 homicídios] 


Curtiu? Compartilhe com os amigos!

Posts Relacionados

Leave a Comment

Notícias sobre a atuação parlamentar do Deputado Estadual Carlos Bordalo (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Pará.

Email: dep.bordalo@alepa.gov.pa
Contato comunicação: bordalo13@gmail.com
Whatsapp: (91) 99319 8959

Gabinete: Assembleia Legislativa do Estado do Pará – Rua do Aveiro,130 – Praça Dom Pedro II, Cidade Velha – 66020-070 3° andar
Fone: 55 91 3182 8419 (ramal: 4368)

Copyright © 2019 Deputado Bordalo. Todos os Direitos Reservados.