Bancada do PT na Alepa tem sessão especial do Dia Internacional da Mulher

 

Foto: Oséas Santos / Alepa

Ainda em alusão ao Dia
Internacional da Mulher, nesta segunda-feira, 11, ocorreu sessão especial para
debater sobre a condição feminina, violência e casos de feminicídio no Pará.
O evento foi solicitado pela bancada do Partido dos Trabalhadores (PT), por
meio da proposta da deputada Dilvanda Faro. 
A sessão foi aberta
oficialmente pelo deputado Daniel Santos, presidente do Poder Legislativo. Após
sua fala a mesa foi presidida pelos deputados Bordalo e Dilvanda. A
parlamentar, ao se pronunciar na tribuna, destacou a importância do movimento feminista
ao garantir às mulheres o direito ao voto. 
Dilvanda ressaltou a luta de
mulheres que marcaram a história do país como Dandara dos Palmares e Tereza de
Benguela, mulheres negras que lutaram contra a escravidão. As mulheres Cabanas
no Pará, a agricultora e sindicalista Margarida Alves e a missionária Dorothy
Stang, ambas assassinadas por grupos políticos e econômicos poderosos porque
ousaram denunciar as injustiças de populações exploradas como os trabalhadores
rurais e extrativistas, respectivamente.
Após a fala da deputada a
professora Rosemeire Nogueira, coordenadora de Ações Educacionais
Complementares da Secretaria de Estado de Educação do Pará (Seduc), fez uma
apresentação das propostas sobre ações de regulamentação da
Lei Estadual 8.775/2018, de autoria do deputado Carlos Bordalo, e que estabelece a Semana
de Emponderamento Feminino nas Escolas Públicas e Privadas no Pará.
A mesa ainda foi composta pelas deputadas
a Professora Nilse Pinheiro; Diana Belo, Marinor Brito e Heloisa Guimarães e
deputado delegado Caveira. Contou com a presença de Regina Barata da Defensoria
Pública do Estado; Juliana Fonteles e Natacha Vasconcelos da OAB/Pará;
Delegadas da Policia Civil: Priscila Pinho e Silvia Rego e Verena Fadul Arruda,
da Secretaria de Assistência Social, Trabalho e Renda;
Eunice Guedes, do Fórum Permanente de Mulheres Amazônicas; Camila Oliveira
da FETAGRI; Nilde Souza do Movimento de Articulação das Mulheres Brasileiras;
Viviane Reis, Movimento Juntas; Jurenda Guerra, do Conselho Federal de
Psicologia; e Maria Janaina, do Movimento de Mulheres do Nordeste Paraense.
As mulheres, representantes
de diversos movimentos sociais feministas e de instituições expuseram suas
avaliações, críticas e sugestões de políticas públicas para as mulheres como a criação de uma Secretaria Estadual para elas. Ainda durante a sessão as mulheres transexuais também foram lembradas e somam as estatísticas de vítimas de violência, assim como toda a comunidade LBTIs. 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.