A Assembleia Legislativa do Pará aprovou, por unanimidade, nesta terça-feira (20), projeto de lei do deputado estadual Carlos Bordalo (PT), que institui a Semana de Conscientização sobre Fibromialgia, a ser realizada, anualmente, na segunda semana do mês de maio. O projeto segue para sanção pelo Governador do Estado.  A Fibromialgia é uma síndrome que provoca […]

Bordalo aprova projeto da Semana de Conscientização sobre Fibromialgia

Sem Comentários Sem categoria




A Assembleia Legislativa do Pará aprovou, por unanimidade, nesta terça-feira (20), projeto de lei do deputado estadual Carlos Bordalo (PT), que institui a Semana de Conscientização sobre Fibromialgia, a ser realizada, anualmente, na segunda semana do mês de maio. O projeto segue para sanção pelo Governador do Estado. 

A Fibromialgia é uma síndrome que provoca dores por todo o corpo por longos períodos e acomete cerca de 2 milhões de pessoas por ano no Brasil. Costuma ser acompanhada por fadiga, alterações no sono, na memória e no humor. Medicamentos, psicoterapia e redução do estresse podem ajudar no controle dos sintomas. 

A Semana de Conscientização sobre Fibromialgia tem como objetivo debater assuntos relacionados à doença, promover a troca de experiências entre profissionais da área, pacientes e sociedade em geral, abrir espaço para apresentação de novos estudos e pesquisas e informar a sociedade sobre a importância do diagnóstico e as legislações que garantem serviços e benefícios ao paciente.

Pelo projeto de lei, o Poder Executivo, a Secretaria de Estado de Saúde (Sespa) e os demais órgãos de saúde no Estado poderão regulamentar a programação, que reunirá palestras, seminários, produção de cartazes e outras mídias sobre o tema. 

O presidente da Sociedade Brasileira de Reumatologia, Georges Christopoulos, explica que a fibromialgia é uma desordem dos centros que regulam a dor, fazendo com que as pessoas sintam dor generalizada. A causa ou o conjunto de causas ainda não foram identificadas e os sintomas costumam aparecer entre os 20 e os 50 anos. 

A síndrome não tem cura e cada diagnóstico no Brasil demora em média três anos. O desconhecimento sobre a doença dificulta o início do tratamento, que, na maioria dos casos, inicia tardiamente, levando o paciente a um quadro de intenso sofrimento físico e emocional e grande prejuízo em sua qualidade de vida.

Além da dor, quem sofre com fibromialgia precisa lidar com o preconceito de quem não entende como sintomas tão incômodos, como dor constante e generalizada, não têm uma causa definida. E como exames laboratoriais e de imagem não conseguem mostrar o que está acontecendo, os pacientes sofrem os mais diferentes tipos de julgamentos e preconceitos. A falta de conhecimento contribui para a baixa tolerância de amigos e familiares, diante das constantes queixas e dos frequentes quadros de episódios depressivos. 

“A informação ainda é a melhor ferramenta para combater o preconceito e, principalmente, aliviar o sofrimento de milhões de pessoas que têm sua dor ignorada. Dessa forma, toma-se urgente a promoção e a disseminação de conhecimento sobre essa síndrome e sobre os tipos de tratamento, assim como informação à população acometida e aos seus familiares, evitando sofrimento desnecessário ou o agravamento dos sintomas devido à demora do diagnóstico e tratamento”, defende o deputado Bordalo. 

A escolha da segunda semana do mês de maio é uma alusão ao dia 12 de maio, instituído como Dia Mundial da Fibromialgia, quando há um esforço em centros, hospitais e clínicas em divulgar a doença. 

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

Email: dep.bordalo@alepa.gov.pa
Contato comunicação: bordalo13@gmail.com
Zap: 55 91 99319 8959

Gabinete: Palácio Cabanagem – Rua do Aveiro,130 – Praça Dom Pedro II, Cidade Velha – 66020-070 3° andar
Fone: 55 91 3182 8419 (ramal: 4368)

Copyright © 2019 Deputado Bordalo. Todos os Direitos Reservados.

Show Buttons
Hide Buttons