Bordalo cobra medidas de combate à violência após chacina do Tapanã

Foto: Reprodução Diário On Line

A chacina do Tapanã, que resultou na morte de oito pessoas nesta segunda-feira (29), foi tema de pronunciamento do Deputado Estadual Carlos Bordalo (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Alepa, durante a sessão ordinária desta terça-feira (30). 

O parlamentar apresentou requerimento convidando o Secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), Luiz Fernandes Rocha, e o Delegado Geral da Polícia Civil, Cláudio Galeno, para que apresentem esclarecimentos sobre a apuração da Chacina do Tapanã, assim como os indicadores que atestam o controle e a diminuição do número de homicídios dolosos no Estado e as estratégias utilizadas no enfrentamento à criminalidade pelo Sistema de Segurança Pública e Defesa Social (SIEDS). A audiência será realizada na próxima quarta-feira, dia 07 de novembro, na Alepa, após a sessão ordinária, às 13h, na sala dos ex-presidentes. 

“Não há lugar seguro em Belém e nem na região metropolitana. Na verdade, o Estado inteiro sofre com a falta de segurança. A situação exige medidas urgentes. Essa barbárie não pode se impor e prosperar. Nosso caminho terá que ser sempre a civilização e a humanidade”, disse o parlamentar durante o pronunciamento. “A população é refém do toque de recolher diário. Todos os dias ouvimos relatos de vítimas de assaltos nos ônibus, supermercados, farmácias, ruas e até sequestros relâmpagos. É inaceitável o nível da violência urbana”.  

“Diante deste cenário e considerando que o Poder Legislativo não pode se furtar de fiscalizar, acompanhar e cobrar medidas eficazes para conter a onda de violência que atinge todo o Estado, solicito que seja convidada a cúpula da Segurança Pública do Estado do Pará para que apresentem a esta Assembleia Legislativa os indicadores que atestam o controle e a diminuição do número de homicídios dolosos no Estado e, principalmente, as estratégias utilizadas no enfrentamento à criminalidade pelo Sistema de Segurança Pública e Defesa Social (SIEDS) bem como um diagnóstico da criminalidade em todo o Pará e urgência na apuração da Chacina do Tapanã”, reiterou o deputado Bordalo. 

De acordo com a Segup, 11 pessoas foram baleadas, sendo que cinco vítimas morreram nos locais dos crimes e outras três morreram em hospitais. Os crimes ocorreram no final da tarde. Testemunhas contaram à polícia que quatro criminosos chegaram em duas motos, efetuaram vários disparos e fugiram. Os crimes têm características de execução. Peritos do Intituto Médico Legal (IML) informaram que uma das vítimas levou seis tiros.

Segundo o Instituto de Pesquisas Aplicadas (Ipea) em parceria como Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Belém assumiu o triste título de capital mais violenta do Brasil. Segundo o Atlas da Violência 2018, em 2015, a capital paraense era a quarta mais perigosa, com 61,8 homicídios/100 mil moradores.     





Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.