Bordalo vai à Cosanpa cobrar água para a Pratinha


O deputado estadual Carlos Bordalo (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), realizou, nesta quinta-feira (12), uma reunião com o presidente da Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa), Cláudio Conde, e moradores da Pratinha, para tratar do abastecimento de água para o bairro, suspenso pela empresa há cerca de 30 dias, para a manutenção do sistema. 

Segundo os moradores, cerca de cinco mil pessoas estão sem água na torneira, sendo atendidas por apenas cinco caixas d’água, de cinco mil litros cada uma, mas que são insuficientes para a demanda. 

“Nossa sorte é que alguns vizinhos têm poço artesiano e ajudam como podem, mas a maioria depende da Cosanpa. São oito ruas e apenas cinco caixas d’água, sendo que uma rua ficou com duas caixas, então o restante da população se vira com três caixas d’água. Isso dá uma média de apenas cinco baldes de água por cada família”, relataram os membros da comissão que esteve hoje na reunião. 

Além da escassez, os moradores denunciaram que a água que tem abastecido a comunidade é de péssima qualidade e “não serve nem para lavar roupa”. “Não sabemos o que está acontecendo, se essa água já vem suja desde o abastecimento ou se os carros-pipa estão sujos. Mas o fato é que a água que estamos recebendo não serve para consumo”, reclamaram. 


O presidente da Cosanpa explicou que 2/3 de Belém são atendidos pelos mananciais do Utinga, mas a partir da Marambaia, passando pela rodovia Augusto Montenegro, Icoaraci, Outeiro e Mosqueiro, ou seja, a Região Metropolitana de Belém, a população é atendida por microssistemas de abastecimento, que eram gerenciados pelo Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Belém (Saeb), administrado pela Prefeitura de Belém. Há dois anos, esse sistema foi incorporado pela Cosanpa, mas o projeto de reparação e ampliação custa cerca de R$ 114 milhões e está sendo feito gradativamente. 

“No caso da Pratinha, um poço com mais de 20 anos deixou de funcionar, ele simplesmente secou e não há o que ser feito. Já estamos perfurando um novo poço, mas esse trabalho leva cerca de 90 dias para ser concluído. Além disso, uma bomba caiu dentro um outro poço, que também abastecia a região. O equipamento perdido foi substituído por outro de menor capacidade, e isso também afetou o abastecimento. Acreditamos, porém, que o novo poço irá resolver esses problemas e com água de boa qualidade”, explicou o presidente da Cosanpa. 

O deputado Bordalo atuou como mediador da conversa, ressaltando que é fundamental que a empresa realize uma reunião ampliada com toda a comunidade atingida, para que os moradores sejam informados sobre o problema e, principalmente, possam sugerir um plano de ação que garanta água de qualidade para a população. 


“É preciso ouvir a comunidade, porque muitas pessoas não sabem o que está ocorrendo, e o sistema de abastecimento por meio do carro-pipa não está sendo satisfatório. A comunidade pode ajudar inclusive a repensar esse sistema, com a instalação de mais caixas d’água, em pontos estratégicos, que atendam às famílias, principalmente idosos e crianças, até que o novo sistema esteja pronto e funcionando. Também é importante que a Cosanpa investigue a qualidade dessa água, pois não se pode admitir que as pessoas recebam água de má qualidade, imprópria para o consumo. A água é um bem fundamental à dignidade humana, é um direito humano inviolável”, resumiu o parlamentar. 

O departamento social da Cosanpa deverá visitar a Pratinha nesta sexta-feira para iniciar a reorganização do abastecimento provisório de água.   

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.