Deputado Bordalo cobra melhorias da Cosanpa e debate privatização


O deputado estadual Carlos
Bordalo (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor
da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), participou, nesta terça-feira (19),
de uma reunião com o presidente da Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa),
Cláudio Conde, na Comissão de Finanças e Tributos da Alepa. A reunião atendeu requerimento
do parlamentar e contou com a presença dos deputados estaduais Ozorio Juvenil
(PMDB), Iran Lima (PMDB) e Junior Hage (PDT), além de representantes da
Federação Nacional dos Urbanitários (FNU), da Agência Reguladora Municipal de
Água e Esgoto (AMAE) e do Sindicato dos Urbanitários do Pará. Em pauta, o
andamento de obras da Cosanpa e o iminente processo de privatização da companhia.

O diretor do Sindicato dos
Urbanitários, Ronaldo Cardoso, acredita que a privatização da companhia será
prejudicial à população. “Temos que resistir de todas as formas. A privatização
sempre é lesiva. Vemos hoje a situação da Celpa, o quanto a tarifa de energia
elétrica é cara e a sociedade fica em segundo plano. Privatizar o saneamento
público, que está diretamente ligado à saúde pública e à qualidade de vida, é
muito perigoso. Esperamos que não aconteça e vamos resistir”, garantiu.

Em sua apresentação, Cláudio
Conde explicou que ainda não é possível antecipar informações sobre a privatização.
“Estamos analisando a melhor solução e se realmente é necessário
privatizar. Foram apresentados vários estudos, que inclusive serão divulgados para
a sociedade, mas ainda não temos nada decidido”, afirmou.


O deputado Bordalo propôs recentemente
a criação de uma Frente Parlamentar pela Universalização do Saneamento no Pará.
O objetivo é realizar estudos, promover debates e propor medidas para um
movimento no Estado que envolva os mais diferentes segmentos, para
conscientizar a população sobre a importância do saneamento básico, além de
cobrar do poder público que assegure recursos suficientes e permanentes para
este setor.
Além disso, a Frente
Parlamentar deverá desenvolver políticas e ações voltadas para a sociedade, com
o objetivo de fazer com que todos tenham acesso ao abastecimento de água
potável, coleta e disposição sanitária de resíduos sólidos e líquidos,
disciplina sanitária de uso do solo, controle de doenças transmissíveis, para
proteger e melhorar as condições de vida e do meio ambiente.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.