Parlamentar repudia casos de racismo e agressão a jovens negros em Belém

O deputado estadual Carlos Bordalo (PT), presidente
da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia
Legislativa do Pará (Alepa), denunciou na tribuna do parlamento paraense dois
casos de racismo que ocorreram recentemente em Belém. O parlamentar declarou
repúdio às manifestações racistas que atingiram o estudante de Engenharia
Elétrica Daniel Carvalho Costa na Universidade Federal do Pará e o estudante de
Jornalismo Bruno George Barbosa no Shopping Bosque Grão-Pará.
Conforme noticiado pela imprensa local, Daniel
Carvalho Costa foi impedido de entrar no Campus Guamá da UFPA por seguranças da
universidade, na última sexta-feira, 19, quando estava na companhia de três
amigos. Daniel protocolou denúncias na Ouvidoria e na Reitoria da instituição e
pretende ir à Divisão de Investigação e Operações Especiais (DIOE) para fazer
um boletim de ocorrência.

Segundo Daniel, todos estavam entrando no campus sem
que lhes fossem exigidos documentos de identificação e sem que sofressem
qualquer tipo de abordagem, mas ele e seus amigos – que integram o grupo de rap
TQSS e iam a uma festa promovida pelo curso de Serviço Social no Bloco K –
foram barrados. “Dois seguranças e um porteiro cercaram a gente e pediram
nossos documentos, perguntando onde íamos. As outras pessoas estavam entrando e
eu ainda indaguei sobre isso. Eles disseram que era ordem da Reitoria”, declarou
o estudante, que tentou se identificar com o comprovante de vínculo à
universidade, mas os seguranças alegaram que o documento seria falso. O
estudante também acusa de agressão o porteiro de uma empresa terceirizada, que
teria lhe dado uma cotovelada no peito durante a discussão.

O deputado Carlos Bordalo encaminhou moção à UFPA e
à DIOE solicitando providências para esclarecer o caso. A decisão será levada
ao conhecimento da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-Pará), Sociedade Paraense
de Direitos Humanos (SDDH), Centro de Estudo e Defesa do Negro (Cedenpa) e
Ouvidoria do Estado do Pará. “Solicitamos providências aos órgãos competentes
para esclarecer a denúncia de racismo e agressão contra o estudante, bem como
para punir os agressores. Toda a sociedade precisa se mobilizar contra todas as
formas de preconceito e racismo”, disse o parlamentar.

Cinema

Na última segunda-feira, 22, por volta de 22h15, o
estudante de jornalismo Bruno George Barbosa foi ao Shopping Bosque Grão-Pará
para assistir a um filme com um amigo. No entanto, os dois jovens foram
barrados pelo segurança do local, sob a alegação de que precisavam apresentar
os ingressos para a sessão. Bruno é negro e o amigo é moreno e estava trajando
bermuda e sandália. Nesse mesmo intervalo, outros três amigos dos estudantes tiveram
o acesso liberado para a mesma sessão. “Nossos três amigos são brancos. Isso é
claramente uma seleção étnica e de padrão, tentando colocar dentro do shopping
somente a beleza branca da elite paraense”, desabafou o jovem, que pretende
ingressar judicialmente contra o shopping. O caso está sendo acompanhado pela
Comissão de Direitos Humanos da Alepa.

    

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.