1o de maio: a dura luta pelas 40 horas

Blog do Bordalo jf
Por João Franzin*, publicado originalmente no blog do Zé Dirceu

A última redução de jornada de trabalho, por lei, ocorreu em 1988, com a Constituição. A jornada caiu de 48 para 44 horas semanais. De lá para cá, houve grandes mudanças no mundo, especialmente nas tecnologias aplicadas ao trabalho. E essas mudanças favoreceram concretamente a produtividade, principalmente no setor industrial.

O movimento sindical e o Dieese entendem que tais ganhos foram apropriados só pelo patronato. Portanto, com a redução da jornada para 40 horas se estaria fazendo alguma distribuição, ainda que parcial.

Mas é uma batalha dura, pois o empresariado não só resiste como faz sua ofensiva. Veja: a Câmara dos Deputados resiste em levar a votação a PEC da redução da jornada; a Confederação das Indústrias articula essa resistência e deflagra campanha na mídia contra a redução; e os jornalões fazem editoriais e estimulam artigos pela jornada atual.

Vale registrar que a Força Sindical formalizou denúncia à Procuradoria Geral do Trabalho, por entender que a CNI faz, nessa campanha, uso indevido de recursos do Sistema S.

CUT e demais Centrais, além de combinar mobilizações na base e pressão sobre os deputados e as lideranças partidárias, agora buscam outro foco de pressão. E esse foco será o próprio governo federal, pois há entendimento de que a área econômica faz corpo mole em relação à jornada.

Não se descarta pedir audiência ao próprio presidente Lula, junto a quem as Centrais, por meio das Marchas a Brasília, têm obtido avanços reais. A ideia é tratar o tema diretamente com o Presidente, resguardando-o, evidentemente, de eventuais desgastes próprios desse conflito capital versus trabalho.

De todo modo, a questão das 40 horas, especialmente pela unidade entre as Centrais, passa a fazer parte da agenda nacional. Terá de ser resolvida. Agora ou logo depois.

*João Franzin é jornalista e assessor sindical.


Curtiu? Compartilhe com os amigos!

Posts Relacionados

  1. Pro bem da juventude, pra ter tempo de lazer e estudo, e pros pais dela essa lei tem que ser aprovada.

    Permalink
  2. Sinceramente não sei pq tanta resistencia a essa lei, qe vai gerar mais empregos e poupar trabalho social que as máquinas já vem desmepenhando..é uma lei moderna e avançada, q tá de acordo com o progresso tecnológico da humanidade.

    Permalink

Leave a Comment

Notícias sobre a atuação parlamentar do Deputado Estadual Carlos Bordalo (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Pará.

Email: dep.bordalo@alepa.gov.pa
Contato comunicação: bordalo13@gmail.com
Whatsapp: (91) 99319 8959

Gabinete: Assembleia Legislativa do Estado do Pará – Rua do Aveiro,130 – Praça Dom Pedro II, Cidade Velha – 66020-070 3° andar
Fone: 55 91 3182 8419 (ramal: 4368)

Copyright © 2019 Deputado Bordalo. Todos os Direitos Reservados.