15 de agosto dia da adesão do Pará a independência do Brasil

Blog do Bordalo images 1
Como foi a adesão do Pará a independência do Brasil?

Afinal de contas, por que hoje é feriado? Essa é a pergunta que surge quando se fala na Adesão do Pará. Para a maioria dos paraenses, trata-se de um evento histórico sem muita importância. Tanto que são poucas as pessoas que sabem explicar por que o dia 15 de agosto, a data da adesão, é feriado. Mas o que os paraenses desconhecem é que a Adesão do Pará foi um acontecimento decisivo na história do Estado, que definiu os rumos políticos e econômicos de sua história recente.

Blog do Bordalo images 2A Adesão do Pará ocorre em 15 de agosto de 1823. A mando de Dom Pedro I, o almirante John Grenfell obrigou os Estados que não aderiram à Independência a aceitar a separação entre o Brasil e Portugal. Em Belém, Grenfell armou um ardil para convencer os responsáveis pelo Estado a aceitar a adesão, convencendo-os de que havia uma esquadra estacionada em Salinas pronta para bloquear o acesso ao porto da capital, isolando o Pará do resto do Brasil. Acreditando na história, restou aos governantes da época se render, proclamando a adesão ao restante do País.

Para a historiadora Magda Ricci, a Adesão do Pará é um dos eventos mais ambíguos da história do Estado. Segundo ela, isso deve ao fato de que, apesar de ter aderido ao processo de independência do Brasil, o Estado continuou a ser governado pelos portugueses. ‘Pouca coisa mudou no Pará após a Adesão. Os portugueses continuaram no poder e os paraenses sem espaço nenhum no novo governo. Daí surge a revolta do Brigue Palhaço, onde os revoltosos com a situação do Estado são confinados no porão de um navio e morrem de asfixia. E foi através de episódios como esse que se deu a Adesão do Pará’, explica a historiadora.

‘Essa independência foi negociada sem nenhum benefício para nós’, afirma o historiador João Lúcio Mazzini, ‘No século XIX o Grão-Pará era um país à parte dentro do Brasil, pois operava com uma taxação alfandegária diferente e se reportava diretamente a Portugal e não ao Rio de Janeiro, que era a sede do Império em nosso País. Essa foi uma estratégia criada por Lisboa para preservar o estado da cobiça dos Franceses e Holandeses, já que era mais fácil tomar decisões se comunicando direto com Portugal sem passar pelo Rio. Então, com a Adesão passamos apenas de colônia européia para colônia brasileira, controlados por um governo que sequer tinha estrutura para cuidar de um país tão grande como o nosso’.

João Lúcio afirma ainda que, caso a Adesão do Pará não tivesse acontecido, existe ainda a possibilidade do Pará ter se transformado em um país independente. ‘Já existiam muitos movimentos aqui pedindo a independência do Estado. E se a gente não tivesse aderido e continuasse ligado a Portugal provavelmente haveria um processo de independência que levaria o Pará a se tornar um país. Então é possível que hoje ele fizesse parte de uma espécie de reino unido brasileiro’, teoriza ele.

Pesquisa realizada nos site:   arquivos.unama.br  ,  apep.pa.gov.br


Curtiu? Compartilhe com os amigos!

Posts Relacionados

Leave a Comment

Notícias sobre a atuação parlamentar do Deputado Estadual Carlos Bordalo (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Pará.

Email: dep.bordalo@alepa.gov.pa
Contato comunicação: bordalo13@gmail.com
Whatsapp: (91) 99319 8959

Gabinete: Assembleia Legislativa do Estado do Pará – Rua do Aveiro,130 – Praça Dom Pedro II, Cidade Velha – 66020-070 3° andar
Fone: 55 91 3182 8419 (ramal: 4368)

Copyright © 2019 Deputado Bordalo. Todos os Direitos Reservados.